A Assembléia dos Professores Municipais de Lages,  realizada ontem à noite no Teatro Marajoara,  aprovou a proposta feita pelo Executivo de Lages de reajuste do salário da categoria  com base no novo valor do Piso Nacional do Magistério, que no começo do mês de março foi definido pelo MEC em R$ 1.451,00 (um aumento de 22,22% sobre o piso nacional de 2011 - que era de R$ 1.187,00). Pela proposta do Executivo - aprovada pela maioria dos presentes - os professores municipais terão um reajuste de 8% sobre os salários a serem pagos no final deste mês de março, retroativo a janeiro e fevereiro. E no salário de abril, a ser pago no final do próximo mês, mais 6%, totalizando 14% de reajuste (é bem mais do que a proposta ridícula feita pelo Governo do Estado - por exemplo).  Quanto aos 8,22% restantes (para totalizar o aumento de 22,22% do novo piso nacional), as negociações continuam com o Executivo. Foi aprovada também a data indicativa de 02 de maio para uma nova assembléia da categoria para verificar como ficam esses 8,22% que faltam. Segundo a presidente do SIMPROEL, professora Débora Reichert (hoje pela manhã, por telefone), o canal de diálogo com o Executivo continua em aberto. "O Secretário de Educação, Amilton Werlich, vai a Brasília pedir uma complementação de recursos. Caso o município consiga, os 8,22% estarão assegurados. E mesmo que não consiga, as negociações continuam", assegurou. OU SEJA, POR ENQUANTO NÃO É VERDADEIRO  O DISCURSO DE RENATINHO DE QUE PAGARIA DE IMEDIATO OS 22,22% DE REAJUSTE NO SALÁRIO DOS PROFESSORES DA REDE MUNICIPAL. ANTES DE FALAR, DEVERIAM TER FEITO AS CONTAS E ESPERADO UM POUCO MAIS PARA ANUNCIAR. ESPERA-SE QUE AGORA - DEPOIS DA PROMESSA FEITA E DIVULGADA AOS  QUATRO VENTOS (INCLUSIVE POR NÓS - QUE NÃO TEMOS  MOTIVO ALGUM PARA DUVIDAR DO PREFEITO), OS PROFESSORES EFETIVAMENTE RECEBAM OS 8,22% QUE FALTAM. Loreno Siega - Revista Visão