1) Perda de receitas na faixa de R$ 1 bilhão por ano com a unificação da alíquota do ICMS para transações entre estados, que passou de 12% para 4% (Resolução 72 aprovada pelo Senado Federal nesta semana); 2) Segunda greve dos professores anunciada e para começar na próxima segunda-feira (19/04) em função do não cumprimento da Lei do Piso Mínimo Nacional do Magistério por SC; 3) Mais de mil agricultores familiares e MST invadindo o Palácio do Governo no dia de ontem (18/04) e pedindo ajuda do Governo para minimizar problemas decorrentes da longa estiagem; 4) Demissão "barulhenta" e até certo ponto injustificada de um delegado da Polícia Civil do comando da mesma em SC (o que causou vários protestos nas redes sociais). Esse delegado teria sido "defenestrado" porque queria levar muito a fundo uma investigação do desvio de peças de carros apreendidos (que foram acabar vendidos em Joinville); São quatro fatos - e sinais - de que o Governo de SC está vivendo um verdadeiro "inferno astral" neste mês de abril. E olha que estamos em pleno ano eleitoral. Cabe a Colombo manter a serenidade e buscar o diálogo e o bom senso acima de tudo. É nessas horas que se vê se temos ou não um grande Governo. Ou se a situação vai "desandar" de vez. Loreno Siega - Revista Visão