Para quem conseguiu viabilizar e implantar uma unidade do IF-SC em um município com pouco mais de 2 mil habitantes (única unidade do Brasil em municípios com menos de 25 mil habitantes), sonhar é possível. Tomara que dê certo. PRESIDENTE DA AMURES PLEITEIA EM BRASÍLIA CENTRO ESPORTIVO NACIONAL PARA A SERRA CATARINENSE Dotar a região com um dos melhores centros poliesportivos do país, com potencial para realizar o treinamento de equipes de alto rendimento e grandes eventos esportivos e culturais. Foi o motivo de audiência na tarde desta quarta-feira (18), do presidente da Amures Amarildo Gaio com o ministro dos Esportes, Aldo Rebelo. A proposta de criação de um do Centro de Treinamento Esportivo da Serra Catarinense, foi entregue ao ministro que determinou ao Secretário Nacional de Esportes de Alto Rendimento, Ricardo Leyser Gonçalves imediato estudo de viabilidade do empreendimento. A audiência foi agendada pelo deputado federal Valdir Colatto que justificou o empreendimento como uma iniciativa para desenvolver a região economicamente. O empreendimento prevê pista de atletismo, pista de ciclismo, pista de patinação no gelo, vila de treinamento ginástica olímpica, campo de futebol, piscina olímpica, ginásio de esportes, salas de musculação, fisioterapia, sauna, hidromassagem, e dentre outras dependências laboratório de esforço físico. O Centro de Treinamento Esportivo poderia alavancar o turismo da região, desenvolver projetos de iniciação esportiva, desenvolver estudos e pesquisas científicos sobre treinamento físico e contribuir para a formação dos estudantes do curso de educação física das faculdades da região. “Será o maior empreendimento do gênero no Estado, mas que depende de recursos federais”, frisou o presidente da Amures. Ele reiterou ao ministro, que estudos indicam que a altitude beneficiava os resultados de velocidade dos atletas. E citou dentre as principais adaptações ocasionadas pelo treinamento da altitude, a melhora da produção de eritropoitina, proteína produzida nos rins que estimula a produção de glóbulos vermelhos na medula óssea, melhora o consumo de oxigênio e aumenta a atividade mitocondrial nas células musculares. Caso viabilizado, o empreendimento esportivo deverá ser implantado num dos municípios de maior altitude da Serra Catarinense. Despontam como sede do possível negócio, os municípios de Urubici, Bom Jardim da Serra, Urupema e São Joquim. Um estudo mais detalhado deverá ser encaminhado ao Ministério dos Esportes para análise técnica. Aldo Rebelo foi sucinto em suas colocações e disse apenas que a proposta terá uma reposta sobre a viabilidade. Onéris Lopes - Asses. de Imprensa da Amures