Ouvi agora há pouco na  Rádio Guri que o ex-prefeito de  São Joaquim, José Nérito de Souza, que na semana passada foi preso juntamente com outras sete pessoas de seu município - a maior parte atuais ou ex-secretários municipais - teve a prisão temporária de 10 dias convertida em prisão preventiva na ação denominada "Bola da Neve", desencadeada pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC), em parceria com autoridades policiais (Gaeco, da PM) e Polícia Civil.

No transcorrer das investigações, que continuam, descobriu-se sérias e graves evidências do possível envolvimento dessas e de outras pessoas em fraudes nos processos licitatórios para compra de pneus, peças e outros itens na administração de São Joaquim quando José Nérito era prefeito.

No dia 04 de janeiro deste ano, o ex-prefeito teve seu mandato cassado pelos vereadores locais. Disse que voltaria ao cargo até o dia 13 de maio, o que lhe teria sido garantido pelo advogado de defesa. Por ironia do destino - ou pela ação eficiente  de quem o investigava - acabou não voltando ao cargo, mas ao "xilindró", em Lages, onde continuam todos detidos.

Loreno Siega - Revista Visão