A 24a. Festa Nacional do Pinhão encerrou no domingo. Ao contrário do ano passado (2011), quando choveu em nove dos 11 dias do evento, neste ano só choveu em dois dos 10 dias da festa  (no sábado, dia 02/06 e ontem, domingo, dia 10/06).

O público do ano passado, com toda aquela chuvarada, e com shows bem mais modestos do que neste ano, foi de 198.207 pessoas. E neste ano, com mega shows em quase todos os dias - e com o tempo colaborando - inclusive com o maravilhoso frio -  o público foi de apenas  212.603 - somente  14.396 pessoas a mais.

Portanto, se alguém da CCO vier falar em sucesso do evento deste ano, que vá enganar outro. Por que na minha modesta avaliação, se houve sucesso foi apenas para a GDO Produções - que praticamente foi a dona da festa e que contabilizou nos dias pagos um público de mais de 130 mil pessoas.

Como nós já afirmamos em editorial - antes mesmo da festa começar - na edição de maio da Revista Visão - o povo lageano está cansado deste modelo de festa, centrado apenas em grandes shows musicais. O povo quer menos dias de festa - talvez com a  redução de 10 para apenas cinco dias. E quer mais a valorização de seu grande motivo:  o pinhão, a araucária, os costumes e valores lageanos e serranos.

Tenho dito. E não toco mais no assunto.

EM TEMPO: Agora é hora de retomar as obras e projetos que há muito foram prometidos e que até agora não foram sequer começados. Via Gastronômica, Revitalização das Praças Centrais da cidade, Av. Ponte Grande, Av. Duque de Caxias, ampliação do sistema de tratamento e distribuição de água tratada (para que não falte mais nos meses mais quentes do verão), etc.