A rápida ocorrência de neve registrada na noite do último sábado, na Serra Catarinense, foi o suficiente para levantar uma discussão: a quem pertence o Morro da Igreja, ponto habitado mais alto — cujo topo está a 1 mil e 822 metros acima do nível do mar — e um dos principais cartões postais do Sul do Brasil?

Para alguns, o Morro da Igreja é da Força Aérea Brasileira (FAB), já que, lá no alto existe, uma base do Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta). Para outros, a propriedade é do Parque Nacional de São Joaquim, unidade de conservação federal criada em 1961 e vinculada ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Quem vai para a Serra, geralmente associa o Morro da Igreja ao município de Urubici, que sempre o explorou turisticamente e há anos ganha os louros do lugar. O que poucos sabem: o ponto, visitado por cerca de 100 mil pessoas todos os anos, é território é da vizinha Bom Jardim da Serra.

Historicamente, Urubici sempre levou a fama pelo Morro da Igreja. Não apenas pela beleza do lugar, que forma um dos maiores conjuntos de cânions do mundo, como também pelas baixíssimas temperaturas registradas durante o inverno e, principalmente, pelas ocorrências de neve.

Mas os moradores de Bom Jardim da Serra nunca se conformaram em ver algo que é seu ganhar destaque como sendo de outros. Há um ano, a prefeitura procurou o governo de SC para pedir um posicionamento oficial sobre os territórios. Em 17 de novembro de 2011, a Secretaria de Estado do Planejamento emitiu um parecer técnico no qual confirma: o pico do Morro é ponto comum entre Bom Jardim da Serra, Urubici e Orleans.

\"\"

Base da Aeronática e estação ficam em Bom Jardim da Serra

A base da Aeronáutica, a área onde os turistas contemplam a paisagem e a estação meteorológica do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) estão em Bom Jardim da Serra. A misteriosa Pedra Furada, alvo das fotografias pertence ao município de Orleans.

— Apoiamos o turismo regionalizado, mas queremos marcar o nosso território, e o topo do Morro da Igreja nos pertence — disse o secretário de Planejamento da prefeitura de Bom Jardim da Serra, Áureo Ribeiro Cassettari.

\"\"

Urubici não teme perdas

Com o reconhecimento do topo do Morro da Igreja para Bom Jardim da Serra, o que muda, na prática, é a maior visibilidade ao município. Mas, como explica o chefe do Parque Nacional de São Joaquim, Michel Omena, o principal acesso ao Morro da Igreja continua sendo por Urubici, cujo prejuízo, se houver, será apenas de propaganda. A aeronáutica, por ser um órgão da União, não paga impostos a por ter a base no morro.

— Não importa o município, o Morro da Igreja é do Parque Nacional de São Joaquim, é patrimônio da região. Qualquer obra ou investimento depende da nossa autorização ou da Aeronáutica. O que as prefeituras precisam é de bons secretários de turismo e boa divulgação das cidades, e não de disputas — pondera Omena.

O prefeito de Urubici, Adilson Costa, admite que o topo do Morro da Igreja pertence a Bom Jardim da Serra, mas destaca que 95% do complexo está no território urubiciense. Nos próximos dias, uma estação meteorológica oficial do Ciram será instalada no morro, num ponto que pertence a Urubici.

— Não questionamos a decisão. Somos solidários e podemos ser parceiros para trabalhar o turismo.

Informações Diário Catarinense