Um crescimento de R$ 323 milhões em bens e serviços incorporados aos existentes no processo produtivo da Serra Catarinense. Este foi o saldo do Valor Adicionado apresentado na terça-feira, em assembleia dos prefeitos da Amures, no restaurante Queijo e Cia, em Capão Alto. A reunião contou com a presença do diretor da Secretaria Regional, Juarez Matos e serviu ainda, para os prefeitos tirar dúvidas sobre diferentes situações acerca do calendário eleitoral deste ano.

Os números do Valor Adicional exibido aos prefeitos se referem ao crescimento econômico da região entre 2010 e 2011 e foram apurados pelo assessor do movimento econômico da associação, Adilson de Oliveira Branco. O setor responsável pela expansão segundo ele, foi a agropecuária com destaque para madeira que só no município de Palmeira alavancou em 55,74% o crescimento no período. No comparativo com o Estado, a região não acompanhou o crescimento geral e ficou 1,06% abaixo.

Pelas planilhas apuradas pelo grupo do Movimento Econômico que abrange todas as regiões do Estado, o crescimento de Santa Catarina foi da ordem de 9,94% e a Serra Catarinense 8,88% entre 2010 e 2011. Pelo que explicou Adilson Branco, cerca de dois terços do incremento do movimento econômico obtido pela região é fruto do trabalho de auditoria dos municípios. O presidente da Amures falou da importância das capacitações e cursos como forma de preparar os auditores dos municípios para não deixar ocorrer evasões no movimento econômico.

Onéris Lopes - Assess. de Imprensa da Amures