Alegando problemas de saúde, a então presidente do SIMPROEL (Sindicato dos Professores de Lages), Débora Reichert, pediu exoneração do cargo em carta enviada no dia 11 de julho a todas as escolas e unidades educacionais do  município.

Na oportunidade, 11 de julho, foi realizada uma reunião extraordinária da diretoria administrativa para que se buscasse outra pessoa para ocupar o cargo. E foi escolhida a tesoureira da entidade, Salete Araújo Camargo, que ficará no cargo de Presidente interina (até novas eleições acontecerem)  e a então Diretora Trabalhista, Mara de Fátima Marcelino, para o novo cargo de Tesoureira da entidade.

Além dos problemas de saúde, que de fato Débora Reichert apresenta, o que chama atenção é que antes de sair ela contratou uma auditoria para apurar detalhadamente as contas do sindicato nos últimos cinco anos (período em que estiveram à frente da entidade o atual Secretário da Educação, Amilton Werlich, Mara Marcelino e a atual vereadora Neuza Zangelini).

Há suspeitas de desvios de recursos significativos na entidade. E a auditoria terá como missão descobrir como aconteceram esses \"rombos\" e de quem teria sido a responsabilidade.

Preservamos nossas fontes de informação por uma questão óbvia de possível \"caça às bruxas\".

Loreno Siega - Revista Visão

PS: Vereadora Neusa Zangelini ligou informando que deixou a presidência do SIMPROEL em 2006. E que depois disso ocupou outras funções,  não mais estando  à frente da entidade. Disse ainda que se fosse o caso não teria problemas que a referida auditoria verificasse as contas no período em que esteve à frente da entidade, de 2001 a 2006.