No atual mandato, a maré não está ou não esteve para peixe para vários prefeitos serranos. Senão, vejamos:

 

1) José Maria de Oliveira Branco - Foi eleito nas eleições de 2008 em São José do Cerrito. Mas em 2010 foi cassado pela Justiça e teve  de entregar o mandato a seu vice, José Everaldo Ronsoni (que atualmente comanda o município). Ronsoni, por sua vez, registrou seu nome na Justiça Eleitoral para concorrer à reeleição. Mas seu nome foi vetado porque está respondendo por crime ambiental e a Lei da Ficha Limpa veda que candidatos com problemas na Justiça possam concorrer em novo pleito (cabe recurso).

2) Em 2010 o  então prefeito de Rio Rufino (Carlos Oselame), com vários mandatos anteriores, foi condenado pela Justiça e provavelmente perderia o mandato. Astuto, renunciou ao cargo antes, alegando problemas de saúde. Quem assumiu foi seu vice, Ademar de Bona Sartor (candidato à reeleição); 

3) José Nérito de Souza, de São Joaquim - No começo de janeiro deste ano foi cassado pela Câmara de Vereadores por problemas ou inexistência de licitação em contrato de prestação de serviços. Há mais de 40 dias, desta vez através de investigações policiais levadas a cabo pelo Ministério Público, foi preso e ainda se encontra detido na cadeia pública de São Joaquim (juntamente com outros graúdos da prefeitura local). A partir da cassação de José Nérito,  quem comanda o município é a vice-prefeita, Marlene Kayser.

4) Marta Góss, de Bocaina do Sul. Logo que assumiu o comando do município, em 2009, ficou presa durante seis dias na Polícia Federal (em Lages e Rio do Sul). Denunciada por dois médicos, ela foi detida  em flagrante quando teria ido receber propina  com um deles (eles denunciaram a prefeita que estariam pagando parte dos próprios  salários à  prefeita, por fora, para que prestassem serviço ao município). Ela conseguiu sair da cadeia. Mas responde pelo  processo até hoje. E nem concorreu à reeleição deste ano em função do episódio.  

5) Prefeitos de Anita Garibaldi (Roberto Marin) e de Cerro Negro (Janerson José Delfes, o Teba) também foram ouvidos na operação Bola da Neve (que prendeu José Nérito de Souza, de São Joaquim). Estariam envolvidos no mesmo esquema. Mas ainda nada ficou totalmente provado.

6) Prefeito de  Palmeira, Osni Francisco de Souza, foi afastado do cargo na última terça-feira (16/07) por pelo menos 180 dias. Ele teria contratado irregularmente (com licitação fraudulente) um contador (Antônio Pires Burg), que  prestava serviços para a Prefeitura local desde 2004 (e que inclusive emitiu parecer justificando sua própria contratação). Quem comanda o município no período é seu vice, Jani Pedro do Amaral.

7) Prefeito de Campo Belo do Sul, Firmino Aderbal Chaves Branco - e seu vice - Adair Darlei Tessaro - em decisão de Ação Civil Pública - levada adiante pelo Ministério Público foram obrigados a exonerar nesta semana todos os parentes que atuavam na Prefeitura, nora e esposa do prefeito e esposa, cunhada e filha do vice-prefeito.

EM RESUMO: A maré não anda boa para a \"prefeitaiada\" serrana. Se essa moda pega....

 

Loreno Siega - Revista Visão