A Berlanda inaugurou nesta sexta-feira (20/7) a Móveis Curitibanos, na cidade homônima. Foram investidos R$ 8 milhões na fábrica, que vai gerar cerca de 100 empregos diretos e que produzirá cozinhas moduladas, estantes, balcões e camas para a maior rede catarinense de varejo de móveis, eletrodomésticos e eletroeletrônicos. Segundo o presidente do grupo,  Nilso Berlanda, o empreendimento deve faturar R$ 45 milhões em seu primeiro ano de funcionamento.

Mais do que marcar a entrada de uma grande varejista ao setor industrial – e o seu consequente fortalecimento para enfrentar um mercado cada vez mais acirrado, principalmente após a compra da concorrente Salfer pela gigante máquina de vendas, no último abril –, a unidade agrega valor à vocação madeireira do planalto serrano. “Tenho certeza de que muito em breve a região irá se tornar um polo moveleiro, atraindo outros fabricantes”, disse Berlanda.

A matéria-prima – principalmente MDF e MDP – virá da vizinha Berneck, recentemente instalada em Curitibanos. “Imagine o quanto economizaremos com frete”, afirmou Nilso. Outro diferencial competitivo é que, por vender o que produz, a empresa não tem despesas com representantes. De acordo com o empresário, estas vantagens farão com que os produtos sejam comercializados a preços mais baixos em suas 188 filiais (179 em Santa Catarina e nove no Rio Grande do Sul).

Atualmente, a Berlanda possui 1890 funcionários e projeta fechar 2012 com um faturamento de R$ 530 milhões (30% superior ao do ano passado). Nilso citou estes números ao lembrar-se de quando chegou à cidade, há 27 anos, transferido de Chapecó para a compensação de cheques do banco do estado, realizada à noite. Incentivado pelo irmão, abriu sua primeira loja para ocupar o dia. “Eu e Leoni (sua esposa) não tínhamos experiência, mas vontade de trabalhar para realizar nosso sonho nunca nos faltou”, contou. Os resultados estão aí.

Texto: Émerson Gasperin - Foto: Bruno Sonda (Divulgação)