Os proprietários do terreno onde será instalada a Sinotruck recorreram da decisão do Juiz Silvio Dagoberto Orsatto, que na semana passada havia concedido a imissão de  posse para que a Prefeitura pudesse doar o terreno à empresa construir sua indústria.

Com isso, obtiveram um efeito suspensivo para esta imissão, o que impede que o evento da próxima sexta-feira, dia 27 de julho, seja realizado naquele terreno  (que, em última instância, ainda pertence aos proprietários). Agora  será necessária a conclusão da avaliação oficial do terreno, a ser feita pelo perito determinado pelo juiz, Sr. Francisco Mendes, para que ocorra a decisão  judicial sobre o valor da indenização aos proprietários. E essa providência deverá acontecer em poucos dias.

Vale ressaltar que a Prefeitura havia feito avaliações anteriores do terreno (com 270 hectares de área), chegando ao elevado valor de R$ 1,73 em média ao m2 do referido terreno (berm acima do valor de mercado, segundo o Secretário de Finanças, Walter Manfrói). Os proprietários pediram R$ 7,00 ao m2 (se a negociação fosse amigável) e R$ 12,00 (se fosse judicialmente), um verdadeiro absurdo. Agora quem vai decidir o valor do terreno é a justiça (o valor da indenização, inclusive, já foi depositado em juízo pela Prefeitura).

Por isso mesmo, o evento da próxima sexta-feira (27/07), que seria no distrito de Índios, será realizado no Serrano Tênis Clube, às 10h30min. Será o ato oficial que marcará a decisão definitiva dos chineses e sócios brasileiros de construir a fábrica da Sinotruck em Lages.

A informação foi repassada ontem à noite (23/07), na ACIL, pelo Secretário de Desenvolvimento Econômico de Lages, Carlos Eduardo de Liz. \"Não haverá problema algum com relação a essa questão. Os proprietários não podem mais impedir a desapropriação do terreno porque foi declarado de Utilidade Pública. O que está em discussão agora é apenas o valor da indenização, que será feita pelo perito oficial e deverá acontecer nos próximos dias\", disse Caco.

Loreno Siega - Revista Visão