Falta muito pouco para Lages efetivamente receber uma indústria de pequenas aeronaves. Secretário de Desenvolvimento Econômico do Município, Carlos Eduardo de Liz, informou na reunião da ACIL desta segunda-feira que o Governo do Estado prepara um evento oficial para o anúncio da indústria para o dia 03 de setembro, próxima segunda-feira, às 10 horas, na FIESC, em Florianópolis, com todas as partes envolvidas.

O evento não seria em Lages neste primeiro momento porque há todo um envolvimento do Governo do Estado e os investidores teriam dificuldades neste momento de se deslocarem todos a Lages (ainda não temos voo regular em nossos aeroportos).

No dia 15 de setembro estaria sendo trazido a Lages um protótipo dos futuros aviões a serem fabricados por aqui. Segundo Caco, a indústria produziria no seu 3o. ano de implantação um total de 40 aeronaves. Depois disso, seriam pelo menos 120 unidades por ano (cada uma com valores que variam de 500 a 700 mil dólares).

A empresa geraria após seu 4o. ano de implantação um total de 400 empregos diretos (dos quais 100 seriam engenheiros). Os donos do projeto já teriam inclusive 120 pedidos destes pequenos aviões (para 2 ou para 4 lugares), a serem utilizados para aviação empresarial (civil) e/ou para treinamento militar (com dois lugares). Os investidores são um grupo de ex-técnicos a Embraer, de São José dos Campos. Eles criaram o projeto. Mas a empresa negou-se a fabricar aviões de pequeno porte. Daí porque buscaram outras possibilidades.

As negociações com Lages, é bom que se diga, já duram mais de um ano, com inúmeras reuniões, visitas e contatos. Jurandi Agustini, Secretário Regional, presente na reunião da ACIL desta segunda-feira, limitou-se a confirmar as informações repassadas pelo secretário Caco.

Se de fato essa indústria vier a Lages, o município ingressará num pequeno nicho de cidades do mundo a ter indústria aeronáutica - apenas 10 cidades no mundo - e duas no Brasil - São José dos Campos (Embraer) e Lages.

Loreno Siega - Revista Visão - Asses. da ACIL