Os comerciantes da rua Humberto de Campos, cuja pavimentação e sinalização - inclusive com a implantação de uma moderna ciclovia - foi concluída há poucos dias pela Prefeitura de Lages - estão revoltados e insatisfeitos. Tanto que querem que a Prefeitura retire a ciclovia lá implantada, que na opinião dos demais moradores da cidade foi muito bem recebida, com muitos elogios.

Acontece que a ciclovia - implantada em uma das laterais da rua - impede que neste lado da rua se estacionem veículos - o que estaria gerando sérios prejuízos ao comércio. O movimento nos estabelecimentos, segundo alguns depoimentos de comerciantes, teria se reduzido drasticamente após as mudanças - tanto que muitos comerciantes que pagam aluguel já estariam pensando em entregar os imóveis e mudar para outro lugar - ou mesmo fechar os negócios.

Esses comerciantes já teriam inclusive solicitado à prefeitura a retirada da ciclovia e inclusive a volta do trânsito nos dois sentidos.

Por outro lado, no próximo sábado, dia 22, às 16 horas, em frente ao Ginásio Ivo Silveira, acontecerá uma manifestação - denominado cicloprotesto - contra a retirada da ciclovia - um evento que está sendo organizado pelo Grupo Pedal da Serra (pessoas que gostam de andar de bicicleta).

Em enquete realizada agora à tarde pelo programa Clube Interativa, o comunicador J. Amarante (Dico) , da  Rádio Clube, abriu o telefone da emissora para manifestações. E foram muitas, de lado a lado.

 

\"\"

ERRO DE QUEM?  Se a Prefeitura tivesse discutido e conversado com os moradores e comerciantes antes da realização da obra, esse problema com certeza teria sido evitado.

Os comerciantes têm razão - e toda razão - em reclamar da diminuição do movimento comercial com a ciclovia. E quem gosta de bicicleta tem toda razão de reclamar do seu fechamento.

E agora, \"iluminados\"  da Prefeitura? O que vocês vão fazer? Prometer aos comerciantes que vão fechar a ciclovia (depois das eleições, claro)? E quem vai pagar  a conta pelos custos de fazer e desfazer as obras? Vão deixar a ciclovia - agradando ao pessoal das bicicletas? E neste caso, como fica o comércio? Quem vai indenizar os comerciantes pelos prejuízos?

É nisso que dá administrar de costas para o povo, fechados num gabinete e sem qualquer tipo de diálogo com a comunidade. Exemplo parecido aconteceu na Av. Duque de Caxias. Vão retirar todos os estacionamentos da Avenida com a revitalização. E  o comércio, que precisa de clientes, como é que fica?

Me respondam?????

Loreno Siega - Revista Visão