No dia 17 de agosto - menos de 60 dias atrás - o  Jornal Correio Lageano estampava em uma manchete que Lages voltaria a ter vôos regulares em seu aeroporto a partir de outubro deste ano. Para tanto, havia-se estabelecido uma parceria com a empresa NHT. Inicialmente, os vôos iniciariam em São Miguel do Oeste, com escalas em Concórdia e Lages - até Florianópolis. E num segundo momento haveria também vôos diretos de Lages a São Paulo.

O blog só queria saber se de fato isso vai acontecer. Ou, se mais uma vez, tratava-se de uma promessa que achavam acabaria no esquecimento.

Vejam abaixo a  matéria, na íntegra:

 

Lages, 17/08/2012, Correio Lageano

O aeroporto de Lages voltará a ter voos diários a partir de outubro deste ano. Localizado às margens da BR-282, o aeroporto de Lages passou por revitalização completa, com investimentos de R$ 1,5 milhão do governo do Estado na pista e mais R$ 400 mil da prefeitura no terminal. As adequações técnicas estão sendo finalizadas para a estrutura começar a operar. A companhia NHT Linhas Aéreas irá fazer o trecho de São Miguel do Oeste, com escala em Concórdia e Lages com destino a Florianópolis. Em dezembro, os voos diretos para São Paulo devem ter início também.

 De Florianópolis, o passageiro poderá fazer conexões para demais cidades. Lages não tem voos regulares de nenhuma companhia há quatro anos. A cidade fez parte de uma rota que incluía Criciúma, cancelada por falta de passageiros. A última companhia a operar voos de Lages a São Paulo foi a Ocean Air, há mais de uma década. De acordo com o administrador do aeroporto. Henri Baraillon, a homologação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) está praticamente feita. O que não estava confirmado era o posicionamento do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea). Com o parecer, o aeroporto está autorizado a realizar voos noturnos e com instrumento.

Henri conta que havia 40 não conformidades antes da última inspeção. O número baixou para nove desde a reforma deste ano. Das nove pendências, a mais complicada era a transposição da torre do anemômetro, aparelho que mede a velocidade do vento. As demais serão sanadas em alguns dias. O administrador afirma que já ouve contato do Decea sobre a possibilidade de inspeção em 10 ou 15 dias.

A Anac exige o cercamento de proteção do aeródromo. Para isolar a área é necessária a instalação de cercas e câmeras de segurança. Isso requer uma cinta de cimento de um metro de altura, mais alambrados de dois metros e telas. “Não nos impede de voar, porque a Anac dá um prazo para isso”, ressalta Henri. Ele diz que não existe quantidade mínima de passageiros para os serviços de voo.

 Quando a empresa operava aqui, era necessário o mínimo de quatro passageiros por dia. A NHT está retornando ao aeroporto e não delimitou a quantidade. Pode ser de 1 até 19 passageiros em aviões para voo em torno de 3 mil metros de altura. Em dezembro, a ideia é que tenha um avião para conexão a São Paulo. As pessoas vindas de São Miguel do Oeste ou Concórdia poderão desembarcar em Lages e seguir em outro avião para São Paulo.

Custo das passagens

O preço e os horários de embarque serão definidos na próxima visita do diretor-presidente da NHT, Jorge Barouki, no final de agosto. Henri comenta que os aviões são econômicos pelo baixo custo de manutenção. O preço de Lages a São Paulo será equiparado ao de Joaçaba a São Paulo, que está em R$484. Henri afirma que para saber um valor estimado de Lages a Florianópolis, basta calcular o gasto de ida e volta de carro, mais alimentação e manutenção do carro. Em torno de R$200.

 O secretário municipal de Administração, Antonio Arruda, conta que o avião deve passar por Lages em torno das 8 horas para dar tempo das pessoas pegarem outro voo em Florianópolis para outras cidades. “A expectativa é que tenha demanda, todos os dias se fala da necessidade de um ponto aéreo em Lages. Agora vai ter”, diz Arruda. Ele afirma que o aeroporto abrange cerca de 30 municípios da região de Curitibanos, São Joaquim e Rio do Sul. Com uma linha regular, a demanda até o final do ano deve aumentar e empresários comecem a usar a estrutura do aeroporto.