Após reuniões entre a equipe da Fundação Cultural de Lages, carnavalescos e integrantes de blocos, constatou-se que não há projetos de captação de recursos através da Lei de Incentivo à Cultura para a realização do Carnaval de Rua. Este planejamento deveria ter sido feito durante a administração passada, pois alguns projetos levam meses para serem aprovados. Também não há tempo hábil para a mobilização da sociedade interessada para a realização de um Carnaval independente.

A prefeitura, através da Fundação Cultural, apresenta algumas propostas, que devem ser analisadas nos próximos dias, para que sejam realizados atos simbólicos e a data não deixe de ser lembrada. De acordo com o agente cultural Gilson Maximo de Oliveira, uma delas é a produção de um audiovisual registrando pessoas que são referência histórica dos Carnavais de Rua de Lages.

Depois seria realizado um evento no teatro Marajoara para apresentação deste material e discussão do tema. “A Fundação Cultural pretende envolver os museus e demais espaços culturais da cidade, escolas de samba, associações, entre outros, para a realização de eventos voltados ao tema numa espécie de ‘Semana do Carnaval’, comenta o superintendente da Fundação Cultural, Maurício Neves de Jesus.

A ideia é este ano focar no planejamento do Carnaval de Rua de 2014, com o recrutamento de todos os interessados e formalização de projetos que serão encaminhados ao Ministério da Cultura (MinC). “As pessoas têm muita vontade, elas gostam de Carnaval, mas às vezes esquecem que também tem custos. Hoje o evento em Lages precisa ser reestruturado e incluído nas discussões de política cultural do município”, enfatiza o agente cultural Adilson Freitas.

Assessoria de Comunic. Social da PML -