A   nova estrutura administrativa de Lages,  encaminhada a Câmara de Vereadores e que será votada nesta segunda (28/01), vai gerar uma economia de R$ 16 milhões ao ano. Isso só será possível por que o projeto de Lei da Reforma Administrativa é fruto da união de esforços dos secretários municipais, tendo como base o diagnóstico da estrutura municipal feito na primeira quinzena deste mês e seguindo as diretrizes apontadas pelo prefeito Elizeu Mattos, num novo modelo de gestão. “Esta reforma visa acabar com as irregularidades e desmandos que havia no setor pessoal e que permitiam a existência de desvios do dinheiro público, além de funcionários fantasmas”, revela o secretário de Administração, Pedro Marcos Ortiz. “A ordem é moralizar a coisa pública”, ponderou.