O presidente da Amures,  prefeito de Ponte Alta, Carlos Luiz Moraes, assinou na semana passada termo aditivo de renovação de convênio do projeto Nascentes do Futuro - Etapa II. Os recursos, na ordem de R$ 459.175,68 do Fundo para Reconstituição de Bens Lesados, do Ministério Público Estadual,  já estão numa conta especial da associação de municípios. A secretária executiva da Amures, Iraci Vieira de Souza,  acompanhou  a assinatura do documento em Florianópolis.

As ações se concentrarão especificamente na área ambiental. Como recuperação de 14 nascentes de água, diagnóstico da tipologia vegetal na área limítrofe de rios e córregos, obtenção de imagens de satélite de alta resolução e na capacitação de professores e alunos.

O contrato de autorização dos serviços será confirmado às 11 horas desta sexta-feira (8), durante assembleia dos prefeitos em que será eleita a nova mesa diretora da Amures, na sede de campo da Klabin, em Correia Pinto. O presidente Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Administrativos e presidente do Fundo, Antenor Chinato Ribeiro,  confirmou presença na solenidade.

São esperados também, o Promotor de Justiça da 13ª Promotoria Pública do Meio Ambiente de Lages, Renee Cardoso Braga e o Promotor de Justiça de Correia Pinto, Jaíson José da Silva. O Procurador-Geral de Justiça de Santa Catarina,  Lio Marcos Marin, está em férias e deverá passar no evento apenas para almoçar com os prefeitos.

De acordo com o presidente da Amures, a previsão é que uma área estimada de 420 hectares nas margens de rios seja mapeada com o Nascentes II. “Será delimitada uma faixa de 30 metros nas margens dos rios e córregos que vai permitir um diagnóstico e subsídios técnicos para futuras ações”, informou Carlos Moraes.

Só no entorno de nascentes devem ser recuperados onze hectares de área degradada. A reedição do projeto prevê, ainda, realizar doze oficinas de Educação Ambiental e mobilizar a comunidade em 30 seminários de Avaliação e Monitoramento do Projeto.

Onéris Lopes - Assess. de Imprensa da Amures