O ministro dos Transportes, Sergio Passos, participou na manhã desta quarta-feira, 27, do XI Congresso Catarinense de Municípios, evento promovido pela Federação Catarinense de Municípios (Fecam). Passos confirmou que o projeto de viabilidade técnica para a construção da Ferrovia da Integração (Chapecó-Itajaí) será contratado até junho deste ano. O projeto é que vai decidir qual será o trajeto da ferrovia, que passará pelo Vale do Itajaí ou por Mafra.

Para o deputado estadual Dirceu Dresch (PT), que coordena a Frente Parlamentar Catarinense das Ferrovias, a confirmação feita pelo ministro é positiva e desmente a afirmação secretário Desenvolvimento Econômico do governo Colombo, Paulo Bornhausen de que a obra da ferrovia teria sido excluída do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC-2). “A Ferrovia da Integração vai sair, é decisão do governo federal. Falar em estadualizar a obra é piada de mau gosto. É uma obra de longo prazo, que será construída para garantir o desenvolvimento futuro de Santa Catarina.”

Quatro novas ferrovias em SC

Dresch informa que Santa Catarina está contemplada com quatro projetos ferroviários, envolvendo PAC e o novo Plano de Concessão de Ferrovias “São obras que vão fazer de Santa Catarina o estado com melhor infraestrutura de transporte ferroviário no Brasil. Essa nova estrutura vai contemplar as nossas necessidades logísticas de transporte, fazendo a interligação férrea do interior ao litoral e integrando o estado aos centros produtivos de grãos.”

Projetos ferroviários federais para SC:

1) Recuperação e readequação da ferrovia que sai de São Paulo, passa por Mafra, Lages e Porto Alegre (RS) até o Porto de Rio Grande (RS). Obra incluída no programa de concessões de ferrovias.

2) Ferrovia saindo de Maracaju (MS), passa por Cascavel (PR) e chega até Mafra. Obra também incluída no programa de concessões de ferrovias.

3) Ferrovia da Integração (Leste/Oeste): liga Chapecó a Itajaí. O projeto de viabilidade técnica vai definir o trajeto.

4) Trecho da Ferrovia Norte/Sul – Sai de Panorama (SP), passa por Cascavel (PR), Chapecó e chega ao Porto de Rio Grande (RS). O projeto de viabilidade técnica também está a cargo da Valec.