Parece que a \"vida mansa\" da vereadora Aida Hoffer - que é professora de carreira da rede municipal - inclusive com mestrado - e que ocupava função bem \"light\" na Biblioteca Pública (dizem as más línguas que ela aparecia por lá de vez em quando), acabou.

Ela foi chamada hoje pela administração de Elizeu Mattos para  se apresentar e dar aulas no  CEIM Chapeuzinho Vermelho, localizado logo abaixo do Angeloni, onde EFETIVAMENTE deverá exercer sua função de Professora e Educadora.

Ao que tudo indica, deve ser algum tipo de retaliação porque a vereadora, no início desta semana, bateu boca com um vereador de situação (Vone Scheuermann - do PMDB).

Ao que se sabe, a legislação permite que servidor público (caso de Aida),  que é vereadora e professora da rede municipal - e caso dos vereadores Gerson Omar (funcionário da Epagri), Thiago Oliveira (lotado no Presídio do bairro São Cristóvão), David Moro (trabalha na Prefeitura) e Adílson Appolinário (trabalha na Prefeitura) possam acumular os dois salários desde que não coincidam os horários de trabalho na  Câmara e na  própria função.

\"PERSEGUIÇÃO E RETALIAÇÃO POLÍTICA\", DISSE AIDA

A vereadora Aida - por telefone - confirmou que iniciou hoje pela manhã suas funções de educadora no CEIM Chapeuzinho Vermelho. E ela assim declarou a respeito: \"Falta menos de um ano para eu me aposentar. Estava desempenhando normalmente as minhas funções na Biblioteca. E recebi um ofício para me apresentar no CEIM Chapeuzinho Vermelho, o que acatei. É pura perseguição e retaliação política da atual administração. Aos amigos do rei, tudo é possível e permitido. Fizeram isso porque sou oposição na Câmara. Mas não faz mal. Sou professora e vou cumprir com minha obrigação, como sempre fiz\", disse.

Loreno Siega - Revista Visão