A Secretaria de Águas e Saneamento (Semasa) trabalha para acabar com a falta de água em Lages. A primeira medida será tomada com cunho emergencial para minimizar o problema até o próximo verão. Trata-se do investimento de R$ 8 milhões na aquisição de geradores de energia, remodelação da estação de tratamento (aumentando sua capacidade de produção de 50 milhões de litros/dia para 59 milhões de litros/dia), melhoramento e construção de reservatórios e a implantação de busters (bombas de pressão) junto à tubulação, para levar água às partes altas do município.

A previsão é que até outubro as ações sejam concluídas e postas em prática, como orienta o prefeito Elizeu Mattos. “Estas medidas, em curto prazo, auxiliarão para o aumento da produção de água tratada em 17%, além de contribuir para suprir as necessidades de energia, com os geradores, o que melhorará o abastecimento”, explica o secretário Benjamin Schultz.

Em médio prazo, os investimentos serão direcionados à ampliação da Estação de Tratamento e ao início da substituição das redes antigas. “Boa parte da rede de distribuição de água do município está deteriorada, pois vem trabalhando há 50 anos e nunca recebeu qualquer tipo de reparo”, revela.

Os projetos em longo prazo contemplam o aumento da infraestrutura da capacidade do reservatório. “Hoje o sistema de captação, tratamento e distribuição trabalha 24 horas por dia, o que não permite folga para sua manutenção; com uma reserva de 50% da produção será possível interromper o funcionamento do sistema para sua manutenção periódica”, explica Benjamin. Esse projeto está previsto para iniciar em 2014. “É um processo longo, mas sua execução é viável”, completa.

 

Informações Secretaria de Comunicação Prefeitura de Lages