Por cerca de duas horas o prefeito Elizeu Mattos relatou, aos membros da diretoria da Associação Empresarial de Lages (ACIL), as ações desenvolvidas nos primeiros seis meses de sua administração, com o vice Toni Duarte. Falou das obras que estão em andamento, de outras planejadas e anunciou que o Instituto de Previdência de Lages (LagesPrevi) obteve o Certificado de Regularidade Previdenciária, documento que permitirá maior celeridade no repasse de recursos federais ao município.

 Para exemplificar obras que terão agilidade na liberação de verbas, citou os R$ 57 milhões da Ponte Grande; R$ 12 milhões dos conjuntos habitacionais; R$ 24 milhões do Complexo Araucária; R$ 2 milhões para construção de duas quadras; R$ 2,7  milhões das creches; R$ 1,8 milhão da praça do PAC; R$ 3 milhões da UPA; R$ 500 mil de emenda do senador Luiz Henrique da Silveira para compra do mobiliário das unidades de saúde e Central de Atendimento da Saúde; ainda do senador outros R$ 500 mil para recuperação de ruas; R$ 250 mil para compra de ônibus escolar e R$ 900 mil de emenda da deputada Carmen Zanotto para recuperação de ruas.

\"\"

 Avenida Duque de Caxias

 Elizeu fez um alerta aos empresários presentes: devido a falta de projetos complementares e erros no projeto inicial, as obras de reurbanização da avenida Duque de Caxias vão se prolongar por um bom tempo, não sendo possível neste momento determinar uma data para seu término. “Fatos alheios à nossa vontade, como a licitação que será feita pela Celesc (Centrais Elétricas de Santa Catarina) para a retirada das redes de alta e baixa tensão, nos impede de dar prazo para entregar a Duque”, disse.

O prefeito repassou, entre as boas informações, o fato de estar bem adiantado o sistema de prontuário eletrônico na saúde, que permitirá ao médico conhecer todo o histórico do paciente quando este for consultar; o início efetivo das obras do Complexo Araucária, a maior obra de saneamento básico da história da Serra catarinense; e falou que até o final do ano serão investidos cerca de R$ 140 milhões em obras gerais. “Temos projeções de que, nos próximos 18 meses, mais de três mil postos de trabalho serão abertos”, adiantou.

 Mapeamento completo será feito

Elizeu confirmou que está sendo preparado um amplo estudo sobre a realidade de Lages, por meio do georreferenciamento. “Já abrimos o processo de licitação para a escolha da empresa. Com o georreferenciamento serão identificados todos os imóveis existentes no município”, disse. Até a população será contabilizada. “Não consigo entender que uma cidade como Lages tenha apenas 156 mil habitantes e se isso for verdade, temos um carro para cada duas pessoas”, contrapôs o prefeito.

Os empresários questionaram sobre alguns temas, entre eles o processo de reversão de imóveis. “Existe um grande número de empresas que querem se instalar em Lages e a prefeitura não tem área para elas e, ao mesmo tempo, empresários que receberam terreno e não utilizam, por isso estamos adotando critérios técnicos para fazer reversões, e que vão continuar”, garantiu.

 

Assess. de Comunic. Social da PML - Fotos: Nilton Wolff