O prefeito de Lages, Elizeu Mattos, e o governador Raimundo Colombo, no evento de anúncio da ampliação da Ambev, hoje pela manhã, em Lages, voltaram a se pronunciar sobre as manifestações que vêm ocorrendo pelo país afora nos últimos tempos

Elizeu foi sintétito. Disse que bastariam apenas duas placas diferentes dos manifestantes para resumir o que quer o país com esses protestos. Uma primeira placa  teria os seguintes dizeres: \"Vamos desburocratizar\". E na outra: \"Parem de roubar\".

\"\"

Colombo elogiou a capacidade de síntese de Elizeu. Mas foi um pouco mais longe em sua análise. Ele disse que o povo não aguenta mais o marasmo que envolve tudo o que é iniciativa pública. \"Para você comprar um remédio ou ser autorizado a adquirir um simples equipamento na saúde que serve para salvar vidas precisa ficar arrumando papel e cumprindo exigências por mais de um ano. Isso está errado\", falou.

\"O mundo é veloz. E exige de nós respostas mais rápidas. O povo vota cheio de esperanças. E depois se decepciona com a exagerada demora para as coisas acontecerem. É preciso que o clamor das ruas continue. E que isso seja transformado em menos burocracia e mais respostas\", exemplificou o governador. Segundo Colombo, as manifestações não podem acabar e os governos acharem que tudo voltou à normalidade. \"O povo não aguenta mais essa normalidade que está aí. É preciso evoluir, ser mais rápidos.\", destacou.