Para marcar a Semana Nacional da Amamentação, de 1º a 7 de agosto, a Secretaria de Saúde de Lages, através do programa Saúde da Criança, realiza uma série de ações para incentivar o aleitamento materno. A primeira é a capacitação das Agentes Comunitárias de Saúde (ACSs) e técnicos em enfermagem que atuam nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) para orientar quanto à amamentação contínua. O que se quer é que as mães amamentem os filhos por mais tempo visando à diminuição dos índices de mortalidade infantil e, se não puderem, que façam o armazenamento do leite.

A capacitação acontecerá terça-feira (6) no auditório da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL); reunirá cerca de 130 pessoas. A equipe do Saúde da Criança trabalha para que o resultado entre nos lares. As ACSs aprenderão como fazer a coleta do leite e repassarão seus conhecimentos. O segundo passo da campanha é a promoção da amamentação na sala de espera do Saúde da Criança, na Policlínica Municipal, com as equipes do programa, em parceria com acadêmicos da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac). Serão usados vídeos e palestras às mulheres que esperam pela triagem neonatal, que é o teste do pezinho.

Informações que facilitam a vida das mamães

A última etapa já está em andamento e continuará por tempo indeterminado. Trata-se da consulta de enfermagem relacionada à amamentação: a mãe leva o filho para o teste do pezinho e passa por uma triagem de aleitamento. Nesta consulta trabalha-se com a mamada supervisionada: a mãe e o bebê dirigem-se ao consultório e a equipe de profissionais observa se a criança está mamando, sugando adequadamente.

Para isso, o consultório remete ao conforto do quarto, com todo aconchego e sossego necessários. As mulheres que apresentarem problemas de fissuras ou ingurgitamento no seio serão encaminhadas à consulta com ginecologista. Magdiel Wolff é mãe de primeira viagem. Há um mês deu à luz o pequeno Pedro Luca. Ela aprova a iniciativa. “Todas as orientações facilitaram muito. Pedro Luca é bastante guloso e mama sem parar, o que é bom para produzir mais leite”, conta.

Amamentação cruzada é desaconselhável

O leite materno contém todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento do bebê, protege de infecções tanto a mãe quanto a criança. É tão importante que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano um milhão e meio de mortes poderiam ser evitadas. É que crianças em aleitamento materno exclusivo sofrem, em média, duas vezes menos episódios de doenças do que as que tomam leite artificial.

Entre outras vantagens, o leite materno protege contra diabetes e câncer na infância; oferece melhor resposta às vacinações; contribui na recuperação mais rápida nas doenças; dá mais proteção contra problemas ortodônticos e fonoaudiólogos (associados ao uso de mamadeira); crianças que são amamentadas por mais tempo tem melhor desempenho em testes de quociente de inteligência (QI).

O leite da mãe é adequado e específico para o seu filho. Segundo informações da Secretaria de Saúde, em Lages ainda há muitos casos da chamada “amamentação cruzada”, ou seja, alguém próximo da família que também teve bebê amamenta o próprio filho e o de terceiros. Essa prática é desaconselhável. A amamentação cruzada é perigosa, pois há riscos de contaminação com vários tipos de doença pelo leite materno e aumenta os índices de mortalidade infantil. Mais informações podem ser obtidas no programa Saúde da Criança, no primeiro piso da Policlínica Municipal.


Informações Secretaria de Comunicação Prefeitura de Lages