Especialista em artesanato com largas experiências mundiais, a consultora do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em nível nacional, Rosana Fuhrmann, esteve na Associação de Assistência Social, Trabalho e Cidadania (Samt) na tarde desta quinta-feira (29/08), conhecendo o trabalho artesanal de 20 monitoras dos Projeto Ciranda e profissionais do Mãos que Fazem. No início da tarde, o secretário de Turismo, Flávio Agustini, e o coordenador regional do Sebrae, Altenir Agostini, compartilharam as informações.

A preocupação da profissional consiste em contribuir para que o produto lageano seja elaborado de uma forma autêntica, culturalmente identificada em qualquer canto do mundo. “Lages pode aproveitar melhor seus elementos locais, usufruindo, com propriedade, da lã, araucária, pinhão, gralha azul, folclore, lida de campo, inventário histórico, seu clima frio, sua culinária, vestimentas. Há coisas aqui que não existem em outras partes do mundo e isso é maravilhoso, estupendo. As mulheres daqui precisam tornar global um produto inicialmente regional. Quem ver uma peça fabricada em Lages terá de imediatamente de fazer a conexão do produto com a cidade”, reflete.

Para ela, a peça de artesanato depende de um conjunto, além da beleza estética. “Capricho, funcionalidade, identidade, embalagem e apresentação determinam se um cliente irá levar o produto para casa ou não”, entende. Rosana trabalha há quatro anos na Serra catarinense, interferindo de forma positiva nos trabalhos desenvolvidos em Lages, Abdon Batista, Campo Belo do Sul e Celso Ramos.

 

Assess. de Comunic. Social da PML - Fotos: Sandro Scheuermann