A audiência pública realizada na noite desta quinta-feira (10), na Câmara de Vereadores, para discutir o cultivo e manejo do pinheiro araucária, lotou o plenário. Um grande número de agricultores aproveitou a iniciativa para apelar às autoridades que revejam decisões tomadas pela União, que estão fazendo com que eles percam o entusiasmo e a vontade de permanecer no interior. “Uma gente humilde que nos emocionou com seus depoimentos. Um pedido de socorro que tem de ser levado a sério”, disse o prefeito Elizeu Mattos, uma das autoridades que acompanhou de perto aaudiência pública, comandada pelo vereador Vone Scheuermann.

De acordo com Elizeu, com uma boa fiscalização e a boa vontade de todos é possível realizar o manejo sustentável da araucária. “E caso isso não aconteça, então que venha o compensatório, que se pague para quem preserva. A União tem esta obrigação”, destacou. Ao parabenizar a Câmara de Vereadores pela iniciativa, o prefeito lembrou queas grandes conquistas do país aconteceram dentro das manifestações populares e que os maiores avanços surgiram com o povo nas ruas. “Todas as manifestações, como a que está acontecendo nesta noite, são favoráveis, são benéficas. O agricultor tem de gritar, tem de pedir socorro e isso é importante para que as coisas aconteçam, para que o parlamento possa achar caminhos que facilitem e não dificultem mais a vida do nosso produtor rural”, enfatizou.

Os deputados federais Edinho Bez e Celso Maldaner e o deputado estadual Arnaldo Moraes também se fizeram presentes na audiência pública, que teve ainda à sua mesa de autoridades odeputado federal do Paraná e engenheiro florestal especialista em direito socioambiental Luciano Pizzato; o procurador da República, Nazareno Jorgealém Wolff; o gerente da Fundação do Meio Ambiente (Fatma), Willy Brun, e os secretários municipais Mushue Hampel (Meio Ambiente) e João Pereira (Agricultura).


Informações Secretaria de Comunicação Prefeitura de Lages