Há quase 15 dias, não se fala em outro assunto nos encontros entre as pessoas em Lages: a tal da prisão do motorista do prefeito recebendo uma mala de dinheiro com R$ 165 mil em espécie, as investigações do GAECO, quem mais estaria envolvido, a CPI na Câmara sobre o assunto, etc, etc.

Pois eu digo o seguinte: não acredito no indiciamento e na perda de mandato do prefeito Elizeu Mattos. Até porque, ao que se sabe até agora, não há  provas conclusivas e materiais contra ele para tanto.

Mas, que a situação é extremamente grave e preocupante junto ao paço municipal, disso ninguém duvida. E que haverá consequências  políticas desse episódio, também ninguém ousa discordar. Afinal, igual ao PT quando era “santo e casto” (e que depois, no poder, demonstrou e agiu igualzinho a todos os outros partidos envolvido em corrupção, negociatas e parcerias com gente espúria), a aura de “austeridade, seriedade e zelo com a coisa pública” por parte do prefeito de Lages e de sua equipe caiu por terra. 

Portanto, para pensar numa futura reeleição (se é que terá coragem de se recandidatar), só há uma saída para Elizeu Mattos: fazer um “governaço”, uma administração muito mais ágil, eficaz e eficiente nos pouco mais de dois anos de governo que lhe restam.

Para ajudá-lo neste desafio, eu apontaria alguns caminhos:

1)      Concluir o projeto da Av. Ponte Grande;

2)      Concluir com as obras do esgoto sanitário na região do Complexo Araucária (e quem sabe ampliar o esgoto tratado para outras regiões da cidade);

3)      Revitalizar por completo a Av. Carahá (com asfalto novo, ciclovia e calçadas decentes para as pessoas em toda a extensão, sem esquecer de floreiras e grama nas laterais das calçadas);

4)      Terminar com urgência o projeto do Órion Parque (a construção central), além de liberar logo os terrenos para que as empresas de tecnologia lá possam se instalar (Faculdades Senac, NDDigital, Softecsul, Flex Contact Center e outras);

5)      Revitalizar por completo o acesso da Av. Papa João XXIII até a BR-116 (que está uma vergonha);

6)      Terminar a construção e começar a operar de vez com a famigerada da UPA;

7)      Revitalizar o Mercado Público de Lages (e todo o seu entorno);

8)      Melhorar muito o atendimento à saúde dos lageanos (exames e consultas com especialistas, por exemplo);

9)      Iniciar e concluir a construção das 5 ou 6 novas creches (com recursos do Governo Federal);

10)   Começar e concluir a revitalização de todas as ruas e calçadas na região central da cidade.

11)   Começar, pelo menos isso, a implantação do famoso e prometido “Parque da Cidade”, tão propalado na campanha.

12)   Concluir todas as 40 pavimentações de ruas prometidas (tenho a relação aqui caso tenham esquecido), incluindo a Rua João José Godinho (lá perto do meu bairro);

13)   Implantar pelo menos nas ruas mais movimentadas da cidade abrigos de ônibus decentes e padronizados (iguais aos que estamos vendo serem implantados, ou até melhores);

14)   Comprar e distribuir logo os netbooks a todas as criancinhas que estudam na rede municipal (se não me engano isso foi prometido na campanha, não foi?);

15) Implantar de vez a Sinotruk, Novaer Kraft, Ekomposit e Sanovo (só para citar as principais empresas já anunciadas para Lages);

16)   Não permitir jamais que se roube, se pague mais caro por medicamentos e outros bens e serviços e que se ocupe cargo público comissionado só pelo salário e por currículo.  

Se Elizeu Mattos fizer isso, mesmo com o fantasma da “mala de dinheiro” a lhe incomodar pela vida afora e na campanha, estará reeleito.

Loreno Siega – Revista Visão