Na semana passada, o  repórter Fernando Machado,  do SBT-SC, atendendo sugestão de uma pessoa, produziu reportagem sobre a denúncia de que determinado médico da cidade estaria vendendo atestados médicos para qualquer pessoa que solicitasse. Passando-se por uma pessoa  interessada, o repórter foi até o consultório do dito cujo e "comprou" um atestado para quatro dias de folga na empresa (já que não estava doente). E pagou R$ 20,00 para cada dia de folga solicitada, totalizando R$ 80,00. 

Pois bem, parece que o "esquema" tem outros médicos envolvidos ou fazendo o mesmo na cidade. Além do dito cujo pego em flagrante (que agora vai ter de responder por seus atos desavergonhados perante o Conselho Regional de Medicina - CRM), há pelo menos outros quatro médicos da cidade que estariam "vendendo" atestados.  

Uma instituição da cidade - com apoio do Ministério Público e com respaldo de outras organizações da sociedade civil - está checando junto a empresas para verificar quais os médicos  que mais assinam atestados. A partir daí, será feita uma completa e profunda investigação. A idéia é acabar com a festa, o que gera prejuízos enormes às empresas, sem falar no crime que estes pseudo profissionais estão fazendo. 

A farra está para acabar. Vejam a reportagem do SBT no vídeo abaixo:

Loreno Siega - Revista Visão