NOTA DE ESCLARECIMENTO

 

 A Secretaria Municipal da Assistência Social vem a público esclarecer sobre o Edital de Pregão Presencial nº 54/2014: Em nenhum momento houve má-fé ou superfaturamento em compra de materiais, ao contrário do que vem sendo divulgado, pois o processo licitatório deste edital não ocorreu, com data prevista para o dia 17 de dezembro de 2014, sendo que após a constatação dos erros de digitação foi por esta Secretaria solicitada ao setor de Licitações na Prefeitura, a anulação do referido lote, e encaminhada a situação para as providências cabíveis.

Houve sim um equívoco no momento de digitar os valores na planilha, sendo que na coluna do valor unitário foi digitado o valor total dos produtos. Usamos como exemplo o Queijo fatiado: onde consta o Valor Máximo Unitário de R$ 245,66, trata-se na verdade do valor global de 30 quilos, ou seja, o valor unitário corresponde a R$ 8,19 (oito reais e dezenove centavos por quilo).

Saliento ainda que, como determinam as diretrizes legais, juntamente com as planilhas estão anexados os três orçamentos dos fornecedores, o que comprova que não houve em momento algum má-fé ou superfaturamento na aquisição de qualquer tipo de material ou produto para a Secretaria Municipal da Assistência Social. Já encontra-se publicada a anulação do referido lote no site da Prefeitura de Lages.

 Sendo o que tínhamos para este momento, esperamos ter esclarecido qualquer dúvida sobre o assunto.

José Amarildo Farias - Secretário Municipal de Assistência Social

NOTA DO BLOG: É interessante como esse tipo de "erros" vem ocorrendo com uma frequência incrível nas compras da Prefeitura. O Observatório Social de Lages (OSL) tem enviado inúmeros pedidos de explicações e correções à Prefeitura neste sentido. E, por incrível que pareça, a maioria deles são ignorados e sequer respondidos. E quando a imprensa ajuda na divulgação dessas "barbaridades", diz-se que houve "erros de digitação".