Se Lages já vive um ótimo momento em termos de perspectivas econômicas, com a ampliação das atuais empresas e instalação frequente de novos investimentos na cidade, essa mudança para melhor será tão ou ainda mais intensa a partir de abril de 2016.

Naquele mês (a data ainda não foi definida oficialmente) deverá ocorrer a inauguração do prédio central do Órion Parque Tecnológico de Lages, em fase final de obras próximo ao IFSC, no bairro São Francisco.

Hoje pela manhã (2/12), atendendo convite do presidente do Instituto Orion, empresário Valmir Tortelli (NDDigital), que estava acompanhado da empresária Nelissa Gevaerd (Softecsul), Margareth Viana e Profa. Nara Kuhn Gôcks (da Fundação Carlos Joffre do Amaral), Secretário de Desenvolvimento de Lages, Juliano Chiodelli e do Secretário Regional de Lages, João Alberto Duarte, a imprensa lageana foi conhecer o andamento das obras e se inteirar um pouco mais do que vai significar o empreendimento para Lages.

O Órion Parque Tecnológico de Lages, na verdade, será um grande pólo para abrigar empresas da área de Tecnologia da Informação (TI) e também de Biotecnologia. O prédio central, que terá 4 pavimentos e cujo projeto apresenta vários conceitos de sustentabilidade – será apenas um dos prédios existentes no terreno, que tem 90 mil metros quadrados de área (anexo ao terreno do IFSC).

O prédio em questão terá um amplo hall de entrada, além de auditório(s) para comportar até 400 pessoas (que podem ser divididos em até 4 pequenos auditórios, dependendo da necessidade). Terá ainda elevador panorâmico, 30 salas para abrigar empresas de Tecnologia, salas de reuniões, sacada panorâmica com vista para todo o bairro e região do entorno, banheiros, além de espaço para abrigar lojas de gastronomia, serviços e administração. “Aqui vamos abrigar empresas de TI e Biotecnologia que já estejam produzindo. O objetivo não é servir de incubatório de empresas, a exemplo do Midilages. Por isso, não vamos concorrer com o Midilages”, explicou Valmir Tortelli.

“Neste prédio central ficarão as pequenas empresas. E no terreno do entorno há mais 13 lotes para a construção de prédios maiores, que irão abrigar outras empresas (de maior porte). Exemplo disso será a NDDigital, que vai construir aqui uma nova unidade, além da Softecsul e a Faculdade de Tecnologia do Senac”, complementou. “Estamos trabalhando também para que a Flex Contact Center construa aqui e ocupe um dos espaços. É uma grande empresa de tecnologia que já opera com 1.600 empregados em Lages e que hoje está em prédio alugado. Se construírem aqui, centralizarão todas suas operações neste local. E é mais fácil que permaneçam em Lages por muito tempo”, complementou o Secretário de Desenvolvimento de Lages, Juliano Chiodelli.

Nelissa Gevaerd explicou que o projeto de implantar em Lages o Orion Parque já  vem sendo discutido, articulado e viabilizado há 7 anos. “Tudo começou na ACIL, com o Núcleo de Tecnologia e com o projeto Lages do Amanhã, capitaneado na época pelo Dr. Roberto Amaral, um grande parceiro do empreendimento”, lembrou Nelissa. “A administração do Orion Parque será feita pelo Instituto Órion, que tem em seu Conselho de Administração quatro representantes das Universidades, quatro representantes dos Poderes Públicos (Governos Municipal, Estadual e Federal) e mais quatro das entidades empresariais  locais. Queremos e precisamos que haja uma harmonia e parceria entre essas forças (Tríplice Hélice). E, já que nosso processo é o mais adiantado até agora do Estado, serviremos de referência para os 13 demais Parques de TI que estão sendo implantados em SC”, lembrou Valmir Tortelli.

No final da visita, a imprensa esclareceu diversas dúvidas e questões acerca do Órion Parque Tecnológico de Lages. Em breve, serão licitados todos os móveis, equipamentos de informática e elevador panorâmico, que são os últimos itens a serem instalados antes da inauguração (Recursos do Governo do Estado – na faixa de mais R$ 1 milhão).

Texto e Fotos: Loreno Siega – Revista Visão