O Governo de Santa Catarina deve auxiliar mais um grande empreendimento para impulsionar o agronegócio e, consequentemente, a economia no Estado.

Principal parceira da Embrapa Suínos e Aves no desenvolvimento e comercialização das linhagens comerciais derivadas do Núcleo de Conservação Genéticas de Aves (NCGA), a empresa Gramado Avicultura e Agropecuária, fundada em 1993 em Gramado (RS), pretende se instalar na região serrana.

Pioneira no Brasil na importação de material genético para a produção de matrizes de frango tipo Label - criado em liberdade e utilizando insumos naturais - e com capacidade atual de produção de 220 mil matrizes e oito milhões de pintinhos comerciais por ano, a companhia atende outros cinco multiplicadores nos estados do Espírito Santo, Goiás, Pernambuco e São Paulo, além de mais de duas mil lojas agropecuárias em todo o Brasil (inclusive Santa Catarina) e na América Latina.

As negociações com vistas à instalação da empresa na Serra Catarinense estão avançadas e devem ser concretizadas nas próximas semanas. O projeto foi apresentado pela diretoria do grupo nesta semana, em reunião realizada em Florianópolis, ao governador Raimundo Colombo; ao secretário de Desenvolvimento Regional de Lages, João Alberto Duarte; ao secretário de Estado da Agricultura, Moacir Sopelsa; e ao gerente de Agricultura da SDR Lages, Denilson Luiz Padilha.

 

Investimentos de R$ 5 milhões

 

Pela proposta, a Gramado Avicultura se propõe a construir com recursos próprios ou com linhas normais de financiamento todas as instalações necessárias, totalizando investimento de aproximadamente R$ 5 milhões.

Para isso, pediu apoio do Governo de SC por meio da disponibilização do terreno. Demonstrando total interesse no empreendimento, o governador Raimundo Colombo já encaminhou a proposta à Secretaria de Estado da Fazenda para um estudo de viabilidade técnica e financeira.

A empresa pretende instalar granjas de material genético avícola em Santa Catarina, às margens da rodovia federal BR-116, com o objetivo de facilitar a logística com a matriz no Rio Grande do Sul e com os clientes em todo o território nacional, até mesmo os mais distantes das principais regiões produtoras de frango de corte e de aves de postura (para reduzir os riscos sanitários).

 

Município de Painel foi o escolhido para o empreendimento

 

Durante os anos de 2013 a 2015, com o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Regional de Lages, foram realizadas diversas visitas a possíveis áreas de terras na região. A última área visitada está no município de Painel, sendo duas propriedades vizinhas que somam aproximadamente 250 hectares de área total.

O espaço foi escolhido por critérios técnicos, como a posição geográfica privilegiada; as barreiras naturais necessárias para o empreendimento; a disponibilidade de mão-de-obra local; o clima propício para a produção avícola; a ausência de estabelecimentos avícolas na região; a existência da cultura agrícola para possibilitar o incremento de atividades vinculadas à avicultura, como a produção de grãos (milho e soja); e a possibilidade de testes de campo dos produtos desenvolvidos obedecendo as normas de distâncias e condições de biossegurança exigidas pelo Ministério da Agricultura.

Havendo a viabilização do investimento de mais de R$ 5 milhões, serão empregados diretamente aproximadamente 25 colaboradores, além dos empregos indiretos, com a oferta de pintos de um dia para todo o Brasil e também para os países da América Latina aos quais a Gramado Avícola exporta material genético. A partir do segundo ano de pleno funcionamento, a expectativa é de um faturamento mensal de R$ 756 mil.

 

Cenário da avicultura no Brasil

 

A produção brasileira de carne de frango totalizou 13 milhões de toneladas no ano de 2014. Da produção total no ano passado, a avicultura brasileira exportou quatro milhões de toneladas de frango para mais de 150 países, num faturamento de R$ 17,6 bilhões.

O Brasil é atualmente o maior exportador de carne de frango e o terceiro maior produtor do mundo. Esses valores correspondem a 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB) e geram 4,5 milhões de empregos diretos.

Em relação aos ovos comerciais, o mercado brasileiro consumiu mais de 23 milhões de ovos vermelhos em 2014, dos quais, 4,1 milhões oriundos da linhagem Embrapa 051, desenvolvida pela Embrapa Suínos e Aves e produzida e distribuída pela Gramado Avicultura.

Assim, a participação da linhagem no mercado nacional cresceu de 4,2% em 2011 para 18,2 % em 2014.

 

Informações Pablo Gomes / Fotos James Tavares