Com o objetivo de inovar e disponibilizar novas opções aos produtores e consumidores de morango, o Centro Ciências Agroveterinárias (CAV), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Lages, está introduzindo no mercado nacional duas novas cultivares, ou seja, espécies melhoradas de morangueiros originários da Itália.
Mudas da variedade Pircinque já estão sendo fornecidas para produtores de Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e São Paulo. Outra cultivar, a Jonica, deve entrar no mercado em 2017.

A espécie Pircinque possui baixa exigência de horas de frio, precisa de menos nutrientes para se desenvolver e é indicada para cultivo orgânico. O resultado é um fruto de tamanho maior, mais saboroso, com maior concentração de açúcar, classificado como "super doce", além de possuir qualidade superior e manejo facilitado.
  O projeto para a introdução de novas seleções e cultivares de morangueiros italianos iniciou em 2012, na Udesc Lages, com o objetivo de avaliar a adaptabilidade de novos genótipos nas principais regiões produtoras do Brasil. Entre 10 diferentes genótipos, as cultivares Pircinque e Jonica, apresentaram maior potencial.

A Udesc Lages registrou as cultivares, tornando-as novas opções comerciais no mercado brasileiro. "O fruto de Pircinque possui maior durabilidade na prateleira, o que atrai o produtor e o consumidor, já que a qualidade da fruta é mantida por maior período de tempo após a colheita", explica o estudante de doutorado em Produção Vegetal da Udesc Lages Antonio Fagherazzi.

Parte do projeto foi financiado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e coordenado professora da Udesc Lages Aike Anneliese Kretzschmar.

A expectativa é tornar o fruto conhecido no mercado nacional e conquistar a fidelização dos consumidores. "A comercialização de Pircinque está sendo acompanhada e pode-se constatar que o produtor que realiza o cultivo do fruto, consegue agregar valor ao produto", diz Fagherazzi.

Mercado europeu já comercializa novos morangos

A cultivar de morangueiros de "dia curto", com baixa exigência em horas de frio, foi obtida em 2004 através de um projeto de melhoramento genético conduzido pelo Conselho Para a Pesquisa e a Experimentação na Agricultura - Unidade da Fruticultura de Forlì (CRA-FRF), entidade de pesquisa do governo Italiano.

Em 2010 ela foi introduzida no mercado europeu como uma nova espécie. Na Udesc Lages, o morango Pircinque chegou há cinco anos e, de acordo com Fagherazzi, a divulgação do produto já feita em estados como Minas Gerais e São Paulo demonstra boa aceitação. "O produtor já nota que paga-se mais caro, mas que o fruto possui qualidade melhor".

Fagherazzi acredita que a introdução do material genético italiano abrirá espaço para que, futuramente, se crie uma marca de morangos. "Gostaríamos de criar um morango nacional, com qualidade avançada, adaptando-se ao clima local", conclui o pesquisador.

Assessoria de Comunicação da Udesc Lages