Com investimentos públicos na ordem de R$ 9 milhões (Governo de SC e Prefeitura de Lages), o primeiro parque tecnológico de Santa Catarina, o Parque Órion, localizado na rua Heitor Villa-Lobos, bairro São Francisco, será inaugurado no dia 24 de junho, às 10h, com a presença do prefeito Elizeu Mattos, do governador Raimundo Colombo e outras autoridades municipais e estaduais.

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda de Lages, Juliano Chiodelli, destaca que estão sendo feitos ajustes finais no acabamento e montado o mobiliário. O arruamento e a iluminação pública externa serão executados pela prefeitura e iniciarão nesta semana. Toda a infraestrutura e equipamentos já foram adquiridos. A intenção é já no próximo mês lançar o edital público que qualificará as empresas a participarem da estrutura.

Prefeitura investe R$ 3 milhões na obra

O governo do Estado está investindo mais de R$ 6 milhões, enquanto a administração municipal está injetando R$ 3 milhões. “O Parque Órion será um novo vetor de desenvolvimento não somente na nossa cidade, mas em todo o Estado, servindo como referência de tecnologia e de preocupação do segmento público com as novas tendências de mercado, preparando o jovem para novos desafios”, diz Juliano Chiodelli, enfatizando ser o Órion uma megaestrutura da indústria limpa, produtora de conhecimento e a primeira de um total de 13 centros tecnológicos propostos pelo governo catarinense. Lages é o único que está em estágio final e que será entregue este ano.

Entre os objetivos do Órion estão capacitar pessoas e empreendedores, atrair investidores de setores estratégicos e criar habitats de inovação. “O Órion será o elo entre conhecimento, empreendedorismo e inovação, compactados para fortalecer o crescimento da região”, avalia o presidente do Instituto Órion, Valmir Tortelli.

Composição

O complexo de Lages foi erguido em uma área de 90 mil metros quadrados. O prédio central, onde estará concentrado o centro administrativo possuirá quatro andares e cerca de quatro mil metros quadrados, com elevador panorâmico, incubadoras de empresas, auditórios modulares com capacidade para 400 lugares (com ajuste de espaço através de paredes divisórias), centro de P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), salas de treinamento e de inclusão digital, empresas residentes, estrutura de apoio, áreas de convivência, praça de alimentação e o Museu da Tecnologia.

Abrigará entre 30 e 40 empresas startups em tecnologia. Mais de 20 empresas basicamente de Lages, de pequeno e médio porte, já sinalizaram fazer parte do empreendimento. Empresas satélite edificarão suas estruturas nos espaços em torno do edifício central. Já estão confirmadas as lageanas NDDigital e Softecsul e uma unidade da Faculdade de Tecnologia da Informação do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), esta, beneficiada com a doação de terreno de cinco mil metros quadrados pela prefeitura.

Assess. de Imprensa da PML - Fotos: Sandro Scheuermann