As obras de construção da Sanovo Greenpack estão em fase final. A empresa está localizada às margens da rua Victor Alves de Brito, acesso à rodovia SC-114. Na tarde desta quinta-feira (7), o secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Juliano Chiodelli, e o gerente do Banco do Emprego, Paulo Roberto Branco, foram recebidos pelo gerente-geral da Sanovo, Edson Roberto Donzeli, pelo gerente de manutenção Nilton Valentin de Souza, e pelo coordenador de segurança e saúde Marcelo Rufino. “Estamos nos ajustes para a inauguração, que deve ocorrer entre o fim de julho e o início de agosto”, antecipa Donzeli.

Na visita foram apresentados os setores de produção de embalagens para ovos e frutas, prédio administrativo, refeitório, vestiários, salas de convivência, área de armazenamento de matéria-prima, estação de gás GLP e estação de tratamento de efluentes industriais. Foram edificados 8.500 metros quadrados em forma de barracões. A área de ocupação é de 22 mil metros quadrados. O processo de instalação começou em maio de 2015, a partir da terraplanagem.

A área territorial de 80.358 metros quadrados foi doada pela prefeitura e teve custo em torno de R$ 700 mil. Embora ainda não tenha sido inaugurada, a empresa já possui um plano de ampliação de suas linhas de saída em Lages. Deverão ser criados 100 postos de trabalho diretos e indiretos. Os funcionários terão, além do salário mensal, os benefícios de cesta de alimentação, transporte, refeitório na empresa e plano de saúde. O recrutamento de profissionais ainda está em andamento, via Banco do Emprego, segundo a coordenadora de gestão de pessoas da Sanovo, Renata Almeida.

As tratativas para a vinda do empreendimento para Lages foram realizadas no receptivo da prefeitura na edição de 2014 da Festa Nacional do Pinhão. Sua instalação foi confirmada em agosto de 2014 durante lançamento oficial com a presença do presidente da empresa na América do Sul, Ernesto W. Schönbrod, cônsul da Dinamarca no Uruguai.

Injeção milionária de investimentos

A primeira etapa de investimentos próprios compreende em torno de R$ 44 milhões. Se somadas as duas etapas, o montante pode chegar a R$ 64 milhões. A meta é chegar à produção de 90 milhões de embalagens por ano, com capacidade de até 100 milhões. Com sistema totalmente robotizado, a Sanovo surge no cenário industrial com tecnologia de ponta e mundial, já que o equipamento de grande porte a ser utilizado em Lages foi importado da Dinamarca, sendo uma gigantesca e imponente máquina moldadora, dotada de correntes italianas.

A máquina tem custo de aproximadamente R$ 24 milhões. Uma segunda máquina, diferente desta primeira, deve chegar em Lages para incrementar a linha de produção. A Sanovo está chegando em Lages com visão de mercado num raio de 120 quilômetros, atingindo grandes nomes frutíferos, como São Joaquim, Fraiburgo e Videira (SC) e Vacaria (RS), abrangendo mais de 85% do mercado.

 

Modernidade e tecnologia

A Sanovo pertence ao grupo dinamarquês Thornico desde 2007 e está no Brasil há 40 anos. A Thornico é uma das corporações mais respeitadas da Europa, composta por 120 empresas, chegando ao Sul brasileiro através da indústria de bandejas para ovos e maçãs. Atua nos segmentos de alimentação (frutas, ovos e queijos), tecnológico (quebradores, classificadores e pasteurizadores), financiamentos, navegação (com mais de 100 navios), esportes (foco na Ásia e Europa), imobiliário e automação (na Itália).

Na América do Sul, a multinacional atinge Brasil, Argentina, Uruguai e Venezuela. No Brasil conta com parques fabris e escritórios em Sorocaba (SP), Montes Claros (MG) e Lages. Profissionais da empresa se deslocam de São Paulo para Lages constantemente, utilizando o voo comercial regular do aeroporto internacional de Viracopos (Campinas) para o aeroporto federal em Lages e vice-versa.

 

Empresa sustentável

A Sanovo é detentora de um dos maiores portfólios de embalagens do Brasil e utiliza, como matéria-prima, papéis reciclados e papelões ondulados, processando a polpa moldada para produzir as bandejas. É uma empresa sustentável e ecologicamente correta. A matéria-prima também poderá ser adquirida na própria Serra catarinense, entre outros locais fornecedores. A empresa é a maior compradora de aparas enfardadas de jornais do Brasil.

 

Assess. de Imprensa da PML - Fotos: Sandro Scheuermann/ PML