A Polícia Militar Ambiental em Lages esteve reunida com promotores do Ministério Público, diretores da Fatma, os Comandos da Polícia Militar Ambiental e Polícia Militar do Estado, Defesa Civil e o comando de Aviação para apresentação de cinco projetos que visam a melhoria do serviço prestado pelo órgão e a preservação ambiental da região.

O primeiro projeto trata da revitalização do quartel, que contempla a urbanização e paisagismo. Todo o espaço será reformado tornando a utilização mais eficiente no que diz respeito a educação ambiental. O projeto prevê a construção de garagens cobertas, estacionamentos arborizados com sistema hídrico e controle ambiental das plantas, uma praça central, espaços exclusivos para utilização da educação ambiental e uma base do Grupo de Radiopatrulha Aérea (GRAER).

Outro projeto visa preservar, proteger e fiscalizar um dos pontos turísticos mais importantes de Lages, o Caminho das Tropas. A proposta da Ambiental é de orientar, proteger a integridade física do local e de impulsionar o processo de tombamento, proporcionando segurança aos turistas. O mesmo projeto prevê ainda a revitalização do “Passo de Santa Vitória” e a reconstrução da Casa do Tributo.

A aquisição de um aparelho vant para auxilio no controle ambiental e fiscalizações também é uma das necessidades apresentadas pela PMA. O aparelho, semelhante ao drone, fornece todo o processamento de imagem e tem a função de monitorar as áreas fornecendo todas as informações necessárias para prosseguimento das ações. O alcance pode chegar a 40 km de distância em percurso de voo com duração de até 2 horas.

O controle do javali por meio de armadilhas, o uso do aplicativo, a produção de cartilhas educativas e o estudo de controle da espécie proposto pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), também foram apresentados. “A Polícia Militar Ambiental tem trabalhado fortemente nesse causa, porque entende que além de destruir plantações e causar perdas irrisórias aos produtores, esse animal é um risco a sanidade da carne suína do Estado”, explica o comandante da 1ª Cia do 2ª Batalhão de Polícia Militar Ambiental, Major PM Adair Alexandre Pimentel.

A limpeza das redes elétricas em parceira com a Celesc também é mais um projeto apresentado pela Ambiental. A proposta é controlar o plantio de espécies próximo a redes elétricas para diminuir riscos de quedas de árvores e contribuir com a limpeza das áreas.

Para o promotor do Meio Ambiente, Renee Cardoso Braga entender as necessidades de cada órgão é fundamental para saber quem pode ser a fonte para a disponibilização de recursos. “Cada instituição trabalha com projetos que captam e precisam distribuir esses recursos, só é preciso definir que instituições possuem os recursos para dar sequencia a estes projetos. O Ministério Público é parceiro e vai junto com estes órgãos dialogar e estabelecer a prioridades”, explica.