Depois de comemorar 34 anos de fundação em 2016, com instalações no bairro São Miguel, o empresário lageano Ivo Borges, 50 anos, se adequou ao cenário populacional daquela região da cidade nas décadas recentes, modernizou conceitos e está apostando em uma megaestrutura construída no bairro Ferrovia, em terreno adquirido pelo governo do Estado e repassado pelo Município. As obras da nova unidade do empreendimento, que de Madeireira Olímpio passará a ser denominado Borges Madeiras, começaram em 2014 e a inauguração da primeira fase deve acontecer entre setembro e outubro.

A esta fase compete a estrutura de fábrica e serraria, cuja conclusão está em 90%. Caldeiras e estufas pertencem a segunda fase do processo de mudanças, portanto, até que se consolide esta etapa, estes dois serviços continuarão sendo executados no São Miguel. Com o passar do tempo, todos os percursos de produção serão transferidos para o novo ambiente. Foram investidos entre R$ 5,5 milhões e R$ 6 milhões nesta primeira fase. A empresa é familiar e tem como sua diretora de exportação a filha de Ivo, Nathalia D’Agostini Borges.

A cidade cresceu ao longo dos anos e a região do São Miguel tornou-se praticamente residencial e de comércio, afunilando o espaço para novas indústrias, o que tornou inviável a instalação de novas indústrias. Enquanto no São Miguel a área é de 12 mil metros quadrados com construção em 3.500 metros quadrados, a área compreende 66 mil metros quadrados no Ferrovia, com edificações em seis mil metros quadrados, distribuídos em barracões com fábrica, serraria, escritório, almoxarifado, vestiários masculino e feminino e refeitório, além da parte de estocagem de madeiras.

No departamento fabril, com as toras serradas, os resíduos descem para as esteiras por gravidade, e são utilizados como fonte de energia a vapor para as próprias caldeiras. Neste sábado (23) serão feitos testes com os equipamentos na nova unidade. O parque fabril é completamente moderno, com aparelhos de fabricação lageana da empresa Mill Serras.

Mercado norte-americano

A matéria-prima da empresa consiste na madeira reflorestada de pinus, da Serra, com exportação para todas as regiões dos Estados Unidos (EUA), com exceção da Costa Leste, sendo destinada madeira para jardinagem (cercas), construção civil e beneficiada, como pallets, correspondendo a 80% do mercado da Borges, e o restante, nacional, destinado à região Sul.

A capacidade de produção será duplicada, incluindo caldeiras e estufas. Atualmente são manufaturados cerca de três mil metros cúbicos ao mês. No início serão seis mil metros cúbicos, até se alcançar o incremento de 30% a 40% sobre esse número. A movimentação será elevada para 7.800 a oito mil toneladas mensalmente. O faturamento poderá ser incrementado em 15% a 20%. Enquanto não começa a funcionar, estão sendo feitos, por enquanto, no novo espaço, a secagem e enfardamento de madeiras serradas. A empresa providenciou o acesso viário com cascalhamento da rua.  

 

Criação de até 40 empregos

Estão previstos em torno de 100 a 120 funcionários no novo endereço, enquanto atualmente no São Miguel há aproximadamente 80. Serão criados, consequentemente, até 40 postos de trabalho. Hoje as mulheres somam 25% do total de colaboradores. A atuação será em turno único, porém, há possibilidade de haver mais um período de expediente. “A contribuição do poder público foi extremamente significativa, pois não teríamos como investir no terreno e na infraestrutura. Praticamente o que se vê na área foi erguido do chão, pouco foi reformado”, enfatiza Ivo Borges.

A Madeireira Olímpio usufrui incentivos fiscais e econômicos concedidos pela prefeitura, o que atribui fôlego financeiro para pôr em prática os planejamentos do empreendimento. “Na antiga estrutura estamos ‘espremidos’, por isso a necessidade de nos mudarmos para suprirmos nossas demandas. Lá não tínhamos mais como crescer e chegamos ao nosso limite de produção e estocagem”, define.

Lages é agraciada com empreendedores pujantes e o impulso das esferas da administração pública deve ser constante e crescente. “Surgiu essa oportunidade de mudarmos de endereço e os governos estadual e municipal acreditaram em uma empresa que pode ascender e trazer novos empregos e geração de renda. Devemos acreditar no povo da nossa terra. Geramos riquezas que são arrecadadas ao município”, finaliza.

Lages amplia empreendimentos

O secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Renda, Juliano Chiodelli, visitou a empresa na tarde desta quinta-feira (21). “Embora ainda se amarguem os efeitos de uma crise econômica nacional, Lages amplia seus empreendimentos. É uma satisfação presenciar uma empresa tradicional como esta se renovando às novas exigências do mercado. Além de colaborar com a cidade, a Borges Madeiras será uma fonte de geração de trabalho”, diz.

 

Assess. de Imprensa da PML - Fotos: Marcio Avila/ PML