Os 91 mil motoristas com veículos emplacados adaptados ao uso do Gás Natural Veicular (GNV) em Santa Catarina estão começando a sentir a redução tarifária, que está em vigor desde o dia 10 de julho. Após solicitação da SCGÁS e decisão da agência reguladora estadual, a tarifa para o segmento automotivo teve redução de 17,8% no preço praticado aos postos e foi retirado o desconto de oito centavos que a SCGÁS concedia aos clientes desde 2014.

Com isso a redução média foi de 13,06% no valor repassado pela SCGÁS aos postos, que são os responsáveis pela definição do preço ao consumidor final. O resultado da queda da tarifa já pode ser vista em algumas cidades do estado. Segundo dados da ANP, coletados alguns dias após vigorar a nova tarifa, ao menos nove postos no estado já praticavam valores abaixo de R$ 2,10 por m³. A tendência é que até o fim do mês mais postos reduzam o preço do GNV para os motoristas.

A redução aumenta ainda mais a competitividade do GNV em comparação aos demais combustíveis. Segundo dados da ANP, o preço médio de venda da gasolina em Santa Catarina na primeira quinzena de julho foi de R$ 3,44/litro, enquanto o etanol foi comercializado por R$ 2,99/litro. Levando em conta os postos que já comercializam o GNV por R$ 2,09/m³, o motorista que abastecer R$ 50 percorre 314 km com o GNV, 156 km com a gasolina e 125 km usando o etanol. Ou seja, com esse preço o GNV tem vantagem de 51% sobre a gasolina e 60% para o etanol.

“O GNV sempre apresentou economia real aos usuários e continua sendo a alternativa mais viável para pessoas e empresas que buscam otimizar seus custos relacionados a deslocamentos e logística, principalmente na conjuntura econômica atual. Além disso, o GNV também polui muito menos quando comparado com os demais combustíveis”, destaca o coordenador Automotivo da SCGÁS, Ronaldo Lopes.

A redução no preço também é válida para as cidades que são atendidas pelo Gás Natural Comprimido (GNC), e não pela rede de distribuição. Nesse caso houve a retirada do desconto de 11 centavos que a SCGÁS concedia aos clientes, deixando em 13,16% a redução no valor comercializado para os postos de combustível. Por ser transportado para regiões afastadas usando caminhões, o custo logístico impacta no preço do GNV dessas cidades, e a redução tarifária permite que exista mais competitividade entre os postos atendidos com rede e pelo GNC.

Para utilizar o gás natural veicular o motorista precisa investir na instalação do cilindro. O kit de 5ª geração (o mais moderno do mercado), com injeção eletrônica que controla a queima do motor e aumenta a potência, tem custo aproximado de R$ 4,5 mil. Levando em conta a economia gerada, o consumidor leva cerca de nove meses para recuperar todo o investimento. Segundo o Inmetro, em Santa Catarina há 52 instaladoras credenciadas em todas as regiões do estado disponíveis para realizar o procedimento.

Além da economia, o GNV também tem outras vantagens. Por ser um combustível seco, não gera resíduos de carbono na parte interna do motor, aumentando a vida útil e o intervalo de trocas de óleo. Também há a questão da segurança, pois possui sistema de armazenamento e compressão com válvulas de segurança que se fecham no caso de algum rompimento. Além disso, o GNV não pode ser adulterado e seu uso não diminui a potência do veículo. Após a instalação do kit, o veículo segue compatível com os combustíveis, não implicando em exclusividade.

 

MERCADO EM SC

 

Localização

Veículos GNV

Postos com GNV

Região SUL (D)

17.666

28

Região NORTE (A)

16.575

25

Vale do Itajaí (B)

23.541

34

Grande Florianópolis  (C)

16.104

33

Atendimento GNC

3.983

12

BOM RETIRO (C)

61

1

LAGES (C)

830

2

Outras cidades

13.089

0

Total

90.958

132

 

Companhia de Gás de Santa Catarina - SCGás