Para a maioria dos meus leitores virtuais, esse texto é longo e não será lido por completo. Eu peço que os alienados parem de ler agora, dessa forma poderão continuar acompanhando minhas superficialidades agradáveis sobre o amor. Os meus autores prediletos já diziam que a humanidade é o templo do rebanho, sendo que a nossa época é apreciada e composta pela busca incessante de informações. Os caçadores virtuais querem teorias e deixam da prática, querem jornais e ontem agonizavam com a bíblia no altar.

A cegueira de outrora era simples, estar alegre ou triste sem muitas razões, ser escolhido ou buscar conforto na dura realidade. Ao longo dos séculos substituíram deuses por Deus, deixaram de Deus e optaram pela fé na ciência, deixam da ciência para cometerem suicídio ou seguirem marcha por suas existências vazias de significado. Procurei dar nome aos idiotas, para quem sabe criar um novo símbolo da antropologia, o problema é que falta tempo de reflexão aos meus próprios leitores.

Quando tinham poucos religiosos que diziam possuir a verdade e a vida, as coisas aconteciam de forma mais previsível. Agora existem promessas de vida longa e a vida boa está no pleno consumismo. Certamente deixaram da religião e são especialistas diante uma modernidade líquida, carecem de filosofia. Os valores foram invertidos, na caçada do bem é necessário uma guerra contra toda mediocridade.

Saímos do templo de meia dúzia de paranoicos que negavam o mundo real, em prol do mundo invisível que era lido pelos profetas; saímos do templo de alguns loucos assassinados ao defenderem uma nova posição da ciência. A era da filosofia é impossível na totalidade dos filósofos, os caçadores virtuais precisam de pontos para preencherem uma vida repleta de tristeza. O meu “Pokémon” quer ir na porta dos cemitérios, quem sabe lá existam lágrimas verdadeiras correndo pelo rosto dos infelizes de plantão, quem sabe lá existam lágrimas verdadeiras que valorizam uma vida que certamente terá fim.

Escritor Joacir Dal Sotto, autor do livro "Curvas da Verdade" e estudante de filosofia.