Jorge Raineski, Secretário de Planejamento de Lages, que por mais de três anos presidiu o grupo de entidades e pessoas que levaram e estão levando adiante o projeto do cabeamento elétrico subterrâneo no centro de Lages – as reuniões periódicas que aconteciam e que eram denominadas ponto controle – ficou extremamente chateado por não ter sido convidado para a reunião realizada ontem (24/08), na CDL, com a presença do presidente da Celesc, Sr. Cleverson Siewert.

 

Jorge Raineski - Secret. de Planejamento de Lages 

Raineski duvida muito que a Celesc consiga terminar até setembro a colocação da fiação elétrica por baixo onde foi colocada a tubulação. E muito menos que consiga realizar as ligações elétricas por baixo em  todas as unidades consumidoras. “A Celesc levou três meses para tomar essa providência numa única rua, a Emiliano Ramos. Não fizeram nada disso ainda em todas as demais ruas e praças onde haverá fiação subterrânea. E nem providenciaram as novas ligações por baixo para as unidades consumidoras. Como então informaram ontem que a parte da Celesc ficará pronta até setembro?”, questionou.

Raineski disse mais: “Querem que a Prefeitura faça as obras (colocar os postes metálicos), pague sozinha por isso  e depois cobre a contrapartida do Governo do Estado. Mas, a Prefeitura só vai arcar com 30% desses custos. E o Governo do Estado vai entrar com 70%. Mas vai repassar o dinheiro só a partir de outubro. Na crise em que todos estamos vivendo, quem consegue fazer uma obra e pagar a empreiteira antes para receber (se receber)  só depois?”, perguntou. “O correto seria cada parte pagar o seu percentual conforme a obra vai avançando”, explicou.

Sobre a retirada dos fios das empresas compartilhadas (telefônicas, internet e TV a cabo), Raineski assegurou: “Na Emiliano Ramos fizeram tudo rapidamente. E garanto que farão tudo o que falta em uma semana. Quem atrasa tudo e não cumpre prazos é a Celesc”, falou.

Eleições

“Em tempos de eleições, é fácil vir aqui dizer que vai fazer isso, aquilo e aquilo outro. Estão querendo ressuscitar a Sinotruk, o aeroporto regional e até as rodovias cujas obras não andam. Passaram seis anos de Governo praticamente esquecendo de Lages. E agora, num passe de mágica, querem que o povo acredite em milagres. Eu não posso concordar com isso”, falou.

POSIÇÃO DA CELESC REGIONAL

O correspondente de comunicação da Celesc regional, Carlos Wolff, após consultar o Engenheiro Gladimir Jeremias, chefe da divisão técnica da Celesc de Lages, informou pelo whatss app:

"Com relação à rede subterrânea em Lages, temos a informar: toda a parte da rede está 100% concluída, baixa e alta tensão. Faltam alguns poucos consumidores que se recusaram a fazer a adequação de sua medição. E falta a iluminação pública, que não é de nossa responsabilidade, e o cabeamento das telecons, que também não é conosco". 

Loreno Siega - Revista Visão