O prefeito Elizeu Mattos, acompanhado pelos secretários de Águas e Saneamento (Semasa), Benjamim Schultz, e de Infraestrutura, Dieferson Branger, assinou a ordem de serviço para a execução das obras de implantação do sistema de esgoto sanitário do projeto Ponte Grande. A empresa executora será a STC Serviços de Terraplanagem e Construção Ltda., a mesma que desenvolve as obras de saneamento do Complexo Araucária. O ato foi realizado nesta segunda-feira (5) na prefeitura.

Serão investidos R$ 13.577.777,77, recursos do governo federal. O secretário Benjamin salienta que a rede de esgoto está concluída, e o que está faltando são os emissários para a coleta. A empresa terá um prazo de 548 dias para concluir a obra. “Temos pressa para que a questão de saneamento seja resolvida, pois pretendemos inaugurar em breve o conjunto habitacional, até porque estamos tendo custos com o aluguel social das famílias que foram remanejadas”, afirma Elizeu.

A obra já conta com cerca de R$ 1,5 milhão depositados em conta para o início imediato dos trabalhos. “As obras da Ponte Grande não pararam, projetos paralelos continuaram sendo tocados. Conseguimos encontrar soluções para os problemas e tudo está se encaminhando, com muita discussão e avaliação criteriosa. Também não é sempre que conseguimos dar uma ordem de serviço com valor tão significativo. Vamos dar um grande salto nessa obra”, diz o prefeito.

O diretor da STC, Valdecir Rogério Lima, comentou que as obras que estão sendo tocadas para o município, até agora não tiveram dificuldades. “Sentimos que o modo de atuação da fiscalização da prefeitura em suas obras é realmente eficaz e as dificuldades que aparecem logo são sanadas”, diz.

Obra dividida em lotes

As obras do Complexo Ponte grande contemplam o alargamento e desassoreamento do rio, construção e urbanização da avenida, que interligará 13 bairros, desde a avenida 31 de Março, no Guarujá, até a rua Cirilo Vieira Ramos, no bairro Caça e Tiro, além da rede coletora de esgoto, com seus emissários, em todos esses bairros.Após a desistência da empresa Sulcatarinense, por problemas financeiros da mesma, a obra precisou passar por um inventário e ser dividida em lotes, com licitações em separado.

A fiscalização dessa parte de saneamento está sob a responsabilidade da Semasa e os demais, da Secretaria de Infraestrutura. O primeiro lote está em execução e se trata do acesso ao condomínio que abrigará as famílias remanejadas. Já foi feita a primeira capa asfáltica, assim como os passeios estão prontos. A infraestrutura da ponte deverá estar concluída dentro de 60 dias, segundo o secretário Dieferson.

O segundo é o esgotamento, e será executado imediatamente, e o terceiro contempla a saída da ponte da rua Olímpio da Cunha, no acesso do condomínio até a Cirilo Vieira Ramos. O quarto lote será toda a urbanização da avenida, finalizando os trabalhos no Complexo. A parte documental e projetos para esse trecho estãosob avaliação na Caixa Econômica, com expectativa de que dentro de 30 a 40 dias esteja aberta a licitação.

Assessoria de Imprensa da PML - Fotos: Nilton Wolff