A ideia de fazer sessões para exibição dos filmes que participaram da II Mostra de Cinema Curta Lages em lugares incomuns causou frisson nesta quinta-feira (15). Porém, a proposta foi compreendida e mais de 200 pessoas estiveram no Cemitério Cruz das Almas para uma experiência inusitada. Num ambiente respeitoso, colaborativo e bom astral, houve a projeção de três curtas-metragens, apresentação musical e intervenção teatral.

A proposta do Coletivo Audiovisual Lageano (CAL) é não somente produzir filmes, mas também difundir as produções e dialogar com diversas artes para fortalecimento da cultura local. “Nosso grupo foi instigado a se organizar, fizemos uma mostra de cinema e desse evento estão surgindo outros. Isso tudo torna a área do audiovisual mais unida e forte”, diz o cineasta Armin Reichert.

O cineasta destaca ainda a participação do público. “Nessa primeira sessão muita gente foi ao cemitério, numa noite fria, para prestigiar o evento. Famílias inteiras acompanharam inclusive quem não tem ligação alguma com as artes. Foi fantástico. É a valorização do artista local”.

Os eventos do CAL tem o apoio da Fundação Cultural de Lages. O diretor de Difusão e Articulação Cultural, Adilson de Oliveira Freitas, enfatiza que a FCL atua de forma estratégica na produção e articulação do coletivo. “O protagonismo é feito pelos artistas. Estamos cumprindo nosso papel de poder público que é de fomentar essas manifestações culturais”.

As próximas sessões de circulação da Mostra Curta Lages estão programadas para ocorrer na terça-feira (20), às 20h, no Museu Thiago de Castro; no dia 21, às 9h, na Escola Municipal de Educação Básica Izidoro Marin; no mesmo dia, às 21h, na biblioteca de Centro Cultural Vidal Ramos; e no dia 22, às 14h, na Escola Básica Municipal Santa Helena.

Assess. de Imprensa da PML - Foto: Jary Carneiro Júnior