A integridade dos usuários da rodovia BR-116 foi o tema principal da reunião proposta pela Autopista Planalto Sul/Arteris na tarde desta segunda-feira (19) no auditório do Hotel Le Canard. Do público fizeram parte a Polícia Rodoviária Federal (PRF), representantes da Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures), prefeito de Correia Pinto, Vânio Forster, e profissionais de imprensa. O diretor superintendente da empresa concessionária da rodovia que corta municípios da Serra, como Lages, Antônio Cesar Ribas Sass, explanou aos convidados sobre as principais e mais recentes ações e operações acerca da segurança e monitoramento da estrada e levou ao seu conhecimento os índices relacionados à diminuição de acidentes de trânsito. A empresa é responsável pela manutenção da BR-116 em Santa Catarina e no Paraná. São três praças de pedágio em Santa Catarina e duas no Paraná.

O tema segurança remete às ações de engenharia na rodovia, como a duplicação que está sendo recentemente empregada no Paraná, com dispositivos de ruas laterais, acessos, sinalizações horizontal e vertical, e lombada eletrônica, partindo de programas sociais, principalmente de educação, o Projeto Escola, iniciativa desenvolvida há quatro anos pela concessionária. Esta ideia traz bons frutos para crianças e adolescentes, futuros motoristas. Campanhas educativas e coercitivas, estas destinadas a motoristas juntamente à Polícia Rodoviária Federal (PRF), Bombeiros, Defesa Civil e Ministério do Trabalho.

A redução do número de acidentes de trânsito com óbitos chega perto de 50% nos 412 quilômetros sob concessão, devido ao conjunto de ações de conscientização. A Autopista está completando o oitavo ano de serviços de concessão, de um total de 25 anos.

Duplicação

A terceirizada está aguardando a autorização da Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) para a concessionária possa executar o projeto executivo. “Em junho de 2015 protocolamos o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) de toda rodovia”, informa Sass.

Foram constatados 380 quilômetros passíveis de duplicação, porém, estudos averiguaram que deste total, 270 seriam viáveis. E, finalmente, destes, através de conclusões resultantes de reuniões com prefeituras e associações (Amures, Amurc e Amplanorte), definiu-se que numa primeira etapa a Autopista irá atuar nos perímetros urbanos, com foco em mobilidade, ruas laterais, passarelas e passagens em desnível para evitar os cruzamentos perigosos. Portanto, em torno de 98 quilômetros prioritários devem ser duplicados diante desta verificação, entre Santa Catarina e Paraná. Mais dois quilômetros foram entregues no Paraná e serão concluídos os 24 quilômetros.

Serão 11 quilômetros variantes na Serra do Espigão, além de outros. Enquanto isto, em Lages será duplicado o trecho entre o trevo de confluência com a BR-282 até a ponte do rio Caveiras. “A duplicação traz a redução de acidentes, principalmente de óbitos por colisão frontal”, explica Sass.

Projeto Gerar

O Projeto Gerar já está em execução e o objetivo da reunião foi traçar um panorama de alerta e prestação de contas aos usuários, os munícipes. A Arteris criou o Grupo Estratégico de Redução de Acidentes (Gerar), que tem status de prioridade na gestão cotidiana da companhia. O objetivo é desenvolver estudos e elaborar planos de ação para zerar o número de acidentes no ambiente de trabalho e reduzir o número de acidentes e mortes nas rodovias. Obras em andamento, ações de segurança e campanhas propostas foram abordadas. Vale ressaltar que a Autopista mantém uma parceria com a Secretaria do Turismo, em que são tratadas questões pertinentes ao desenvolvimento regional, incluindo a realização de workshops de turismo.

Assess. de Imprensa da PML - Fotos: Toninho Vieira