Comissão técnica da Associação dos Municípios do Planalto Sul de Santa Catarina (Amplasc) esteve em Lages, na tarde de sexta-feira (23), para conhecer o sistema de esgotamento sanitário administrado pela Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa). A Amplasc é formada por sete municípios: Campos Novos, Monte Carlo, Brunópolis, Abdon Batista, Zortéa, Celso Ramos e Vargem.

Estava junto desta comitiva, o gerente regional da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), de Curitibanos, João Maria Teles, que também preside o Comitê de Gerenciamento da Bacia do Rio Canoas, e o presidente da Câmara Técnica de Planejamento deste comitê, Rodrigo Silva.

A visita feita diretamente na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do bairro Caça e Tiro e nas obras de construção da ETE do bairro Araucária foi acompanhada pelo secretário da Semasa, Benjamim Schultz.

Rodrigo Silva, que também é engenheiro ambiental da Amplasc, disse que o conhecimento do sistema de esgotamento sanitário implantado pela Semasa, em Lages, é muito importante porque é diferente do sistema comumente utilizado em outros municípios. “Em Campos Novos, sede da Amplasc, onde cerca de 70 a 80% da área urbana possui tratamento de esgoto, o sistema de esgotamento é anaeróbico, enquanto que aqui em Lages se utiliza o sistema aeróbico, que apesar de ser mais caro, em termos de investimento público, têm importantes vantagens em termos ambientais”, falou o engenheiro. “O que vimos em Lages é um sistema ideal para municípios de médio e grande porte. Enquanto os tanques de tratamento no sistema aeróbico são abertos, no anaeróbico a estrutura é tipo fossa séptica. As vantagens apresentadas pelo aeróbico são a redução do odor e à qualidade do efluente. O impacto ao meio ambiente é mínimo, pois o efluente chega ao rio com baixa carga poluente”, fala Rodrigo Silva.

Ele disse também que essa visita a Lages irá nortear o projeto de readequação do sistema de esgotamento sanitário anteriormente projetado para a cidade de Monte Carlo. “Os resultados obtidos nesta visita serão apresentados na próxima reunião da Amplasc, com as presenças dos prefeitos”, afirma Silva.

Referência

Já o gerente regional da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), em Curitibanos, João Maria Teles, disse que o sistema de ETE implantado em Lages é sem dúvida referência para a execução de novos projetos. “O que estamos vendo em Lages poderá muito bem ser implantado em Curitibanos, onde já está sendo projetado o esgotamento sanitário”, falou Teles.

Benjamim Schultz disse que na ETE Caça Tiro, assim como na ETE Araucária, esta em construção, e que irá receber o esgotamento sanitário de sete bairros de Lages, utiliza-se de tecnologia de ponta no que diz respeito ao tratamento de esgoto. “É considerado hoje o que há de melhor no mundo em termos de esgotamento e tratamento sanitário”, conclui o secretário.

 

Assess. de Imprensa da PML - Foto: Toninho Vieira/ PML