No meio da tarde desta sexta-feira (30/09), o prefeito Elizeu Mattos vistoriou as obras de construção da primeira residência ecologicamente edificada sob o novo modelo de conceito sustentável estabelecido pela Secretaria da Habitação. O andamento da construção no bairro Santa Catarina, atrás do Centro de Atenção Integral à Criança (Caic) Nossa Senhora dos Prazeres, é supervisionado diariamente pelo secretário da pasta, Caetano Palma Neto. Outras duas casas serão levantadas juntamente a esta da visitação e doadas a famílias economicamente vulneráveis.

A composição dos tijolos desta primeira unidade habitacional é de cinzas resultantes da queima de biomassa florestal, utilizada na geração de energia, lodo dos tanques da Estação de Tratamento de Água (ETA), fornecidos pela Secretaria Municipal de Águas e Saneamento (Semasa) e areia de vidro, fabricados no barracão locado pela Secretaria da Habitação, no bairro Caravágio. Todos os componentes são frutos de doação de voluntários físicos e jurídicos. Nesta primeira remessa serão erguidas três residências, em terreno do município, localizado atrás das casas térmicas da Defesa Civil. A mão de obra é viabilizada pela própria Habitação. A edificação das casas ecológicas tem baixo custo para os cofres do município.

Economia

Cada moradia contará com 49,25 metros quadrados, a custo inferior a R$ 10 mil ao município. A casa está dividida entre cozinha e sala conjugadas, dois quartos, banheiro com mobiliário, e área de serviço. O telhado da casa é feito de vidro, com reaproveitamento de para-brisas dianteiros quebrados de veículos em decorrência do temporal de granizo em outubro de 2014 e de acidentes de trânsito. “Os para-brisas dianteiros possuem uma membrana especial de alta tecnologia, ideal e resistente para a cobertura das moradias. Nada é decidido sem testes. Tudo que está sendo implantado foi devidamente testado”, avisa Caetano. O piso será de porcelanato líquido, doação de uma empresa parceira da Secretaria. Também estão sendo doadas as ligações elétrica e hidráulica. A primeira casa estará pronta na próxima semana. Entre as doações à Habitação estão os vasilhames de vidro arrecadados pela Secretaria do Meio Ambiente e Serviços Públicos durante a ação Balada Solidária em casas noturnas de Lages.

O objetivo das casas populares ecológicas é proporcionar maior conforto e durabilidade às residências se comparada ao tempo de vida útil das habitações feitas com madeira. O novo formato oportuniza economia, conscientização ambiental e a resolução de um problema social em longo prazo. “O modelo inovador de Lages é altamente viável e já foi procurado por outras cidades do país. Nossa experiência inicial tem sido alvo de busca e referência. A partir desta casa nascerão milhares de moradias populares Brasil afora”, pondera o prefeito, argumentando que é salutar fazer este exemplar de laboratório. “Pensar que se podem fazer tijolos com lama, resíduos de fundições e cinzas de caldeiras de serrarias é acreditar em medidas eficazes e de respeito ao meio ambiente, dando ocupação ao que antes era jogado fora”, acrescenta.

A primeira contemplada

A trabalhadora em produção de uma empresa alimentícia, Eloir Urbano Oliveira, tem 37 anos e teve sua casa no bairro Santo Antônio, destruída por um incêndio há seis meses. A doação da primeira casa será para ela. Atualmente Eloir reside com seus dois filhos na casa de sua mãe, no bairro São Luiz, juntamente a seu pai e seu irmão. Ela acompanhou a visitação com a filha Nicole Israela. “Eu gostei de saber que viremos morar aqui. É perto da minha mãe. Vou poder recomeçar em um novo lugar, pois perdi tudo.”

Assess. de Imprensa da PML - Fotos: Marcio Avila