Desde o início de sua campanha à Prefeitura de Lages o então candidato, e hoje prefeito eleito de Lages, Antônio Ceron vem dizendo que pretende economizar pelo menos R$ 1 milhão por mês com o corte de cargos comissionados na Prefeitura de Lages. Disse mais: que cortaria pela metade o número desses comissionados. 

Pelo que o prefeito Elizeu Mattos informou, antes de renunciar ao mandato, haviam na prefeitura um número próximo a 300 cargos comissionados (incluindo prefeito, vice e todos os secretários municipais). E a prefeitura gastava com esses 300 comissionados algo em torno de R$ 1,1 milhão por mês (o que dá uma média de R$ 3.666,66 por mês de salário para cada um deles). 

Hoje pela manhã, falando ao Fórum das Entidades Empresariais de Lages, Antônio Ceron informou que deverá iniciar sua administração com apenas seis secretários, que ele vai anunciar depois do dia 15 de dezembro. E que a partir disso enviará à Câmara um projeto de Reforma Administrativa. E só a partir da aprovação da mesma,  lá por fevereiro ou março, completará a equipe. Disse também que o número máximo de comissionados em sua administração não deverá ultrapassar 200 pessoas. 

Ora, se Ceron quer economizar R$ 1 milhão por mês com comissionados (e se Lages gasta hoje R$ 1,1 milhão por mês com esse pessoal), Ceron terá de fazer milagres. Afinal, sobrará apenas R$ 100 mil por mês para ele gastar com 200 comissionados (eles vão ganhar, então, em média, R$ 500,00 por mês cada um - Hoje ganham R$ 3.666,66 em média). 

E se ele disse que iria cortar pela metade o número de comissionados, deveria nomear no máximo 150 pessoas e não 200 como falou hoje pela manhã lá no Fórum das Entidades (se hoje são 300 comissionados). 

Por isso mesmo, uma coisa é falar como candidato (para ganhar as eleições). E a outra, bem diferente, é começar a administrar efetivamente (com inúmeros "pedintes" e compromissos políticos assumidos com 11 diferentes partidos). 

A  Propósito:

- Uma coisa é o Donald Trump dizer na campanha lá dos EUA  que iria mandar embora todos os imigrantes ilegais e muçulmanos dos Estados Unidos. E outra, bem diferente, é ele começar a governar e cumprir a promessa. Se fizer isso, os americanos vão ter de trabalhar de lixeiros, pedreiros, abrir valas, varrer ruas, lavar pratos nos restaurantes..... Quero ver o Trump ter  peito para fazer isso......

Loreno Siega - Revista Visão