A indústria têxtil catarinense representa 15% do total nacional. A Serra Catarinense está empenhada no fortalecimento do setor e em transformar a região em polo do vestuário e de moda. Parcerias entre entidades como Federação da Indústria de Santa Catarina (Fiesc), Serviço Nacional da Indústria (Senai), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Associação Empresarial de Lages (Acil) e Sindicato Têxtil de Lages (Sinditêxtil) tracam estratégias para alcançar esse objetivo, inclusive com a criação de um fórum permanente para discussão da cadeia produtiva de moda.

Nesta quinta-feira (17), começou em Lages mais uma edição do Serra Inova Moda, evento realizado para movimentar o setor, fomentar o empreendedorismo, gerando capacitação e negócios.  A especialista em moda do Senai, Rosenei Zanchett, apresentou o preview de verão 2018.

Com experiência internacional, falou sobre tendências de comportamento, consumo, moda, mercado e temas que vão nortear o desenvolvimento de produtos diferenciados de alto valor agregado e assim, mais competitivos. Para incentivar a criação de coleções próprias, Rosenei usou o Caderno Inova Moda, documento distribuído a todos os participantes e usado em capacitações de 25 estados brasileiros.

“Trouxemos cases de sucesso para despertar a criatividade. Os empresários têm compreender que a inovação precisa resolver os problemas das pessoas com produtos funcionais e a moda ser pensada em detalhes”.

Desenvolvimento do setor

O diretor do Senai em Lages, Telmo Coelho, reforça que eventos como o Serra Inova Moda são os propulsores do desenvolvimento do setor na região. Está no planejamento da unidade a realização de capacitações e cursos de curta duração para este público. Além disso, há a previsão da criação de um curso técnico em moda. “Temos profissionais na área da produção. Agora, precisamos capacitar técnicos que pensem e estudem a moda para fomentar o setor do vestuário”.

O potencial de crescimento e expansão existe. Para o coordenador regional do Sebrae, Altenir Agostini, há essa lacuna na Serra Catarinense, em comparação ao restante do Estado. “Esse é um setor tradicional com a conotação de inovação e agregação de valor. O caminho está livre para o desenvolvimento, geração de emprego e renda”.

 

Inova Mais Indústria

Juntos, Fiesc e Sebrae irão oferecer consultoria em inovação para 100 empresas por meio do projeto Inova Mais Indústria. Serão destinados R$ 2,5 milhões para a execução do projeto. O objetivo é estruturar o processo de gestão da inovação nestas empresas de todos os setores e com faturamento anual de até 3,6 milhões.

As indústrias participantes receberão subsídio de até 80%. O programa visa identificar oportunidades para inovar dentro das empresas, definir estratégia para inovação, gerar novas ideias e estruturar a carteira de projetos. A primeira reunião com empresários esta marcada para a próxima semana.

 

Procompi

As pequenas indústrias da Serra Catarinense do segmento têxtil passarão por um processo de elevação da competitividade industrial graças ao apoio do Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi), desenvolvido pela Fiesc, Sebrae e Sinditextil. O Sebrae subsidiará a maior parte do valor do programa, 70%. Serão contempladas 26 empresas serranas. O projeto aguarda a aprovação do Sebrae nacional e deve ser executado em 2017.

Texto e fotos: Catarinas Comunicação