Um pedaço de Lages será levado para distintos cantos do mundo depois da visita de intercâmbio de 13 jovens entre 15 e 18 anos que chegaram na cidade nesta sexta-feira (9/12), mobilizados pelo Rotary Club Internacional. Os 13 estrangeiros são da Venezuela, México, Suécia, França, Alemanha, Estados Unidos, Tailândia e Taiwan, contudo, estarão em intercâmbio por até um ano em cidades catarinenses como Herval d’Oeste, Chapecó, Concórdia e Treze Tílias. O grupo chegou em Lages nesta sexta (9), onde permanecerão até este domingo (11). Neste sábado (10) o grupo participará do Natal Felicidade mais uma vez, serão apresentados e acompanharão a programação. Após, durante o final de semana, irão passear na Pousada Rural do Sesc e no Adventure Park, localizado no Hotel Fazenda Pedras Brancas. Churrasco de confraternização e a troca de experiências também compõem o passeio. Desde julho há três intercambistas em Lages, originários de Taiwan, México e Bélgica, e no município ficarão pelo período de um ano. Três jovens de Lages e mais de São Joaquim estão fora do Brasil.

Os intercambistas foram escolhidos pelo Rotary para participarem do Programa de Intercâmbio de Jovens. O Distrito 4740 comporta mais de 45 grupos, cidades espalhadas entre Lages e a região Oeste. “No ano passado trouxemos um grupo de intercambistas para Lages no Natal Felicidade. Foi extraordinário e teve uma ótima repercussão. Havia várias atividades a serem desenvolvidas. O Natal Felicidade foi o evento oficial do Programa”, recorda a coordenadora de out home do Programa e oficial de intercâmbio do Rotary, Kátia Carvalho.

O Programa depende das casas de famílias anfitriãs (hosts) voluntárias no outro país e é supervisionado pelo Rotary. As passagens aéreas são custeadas pelas famílias, bem como hospedagem/estadia, alimentação, escola e cursos, que são organizados pelo Rotary. Este disponibiliza uma mesada para custos pessoais.

Atualmente o Programa de Intercâmbio de Jovens mobiliza mais de oito mil jovens pelo mundo. “O Programa de Intercâmbio de Jovens tem o objetivo da disseminação da paz e da amizade entre os povos. Entendemos que se enviarmos jovens para o exterior e vice-versa, em qualquer situação de conflito entre países, como guerra ou coisa parecida, quem estará no Brasil irá interceder positivamente com relação ao país”, explica Kátia. Os botons adotados por cada jovem, carregado em seu blazer, significa sua característica pessoal. Nos seus encontros em viagens, há a troca de botons, e reflete o número de intercambistas interagidos pelo caminho.

 

A venezuelana

 

A jovem María Carreras, 18 anos, formava a comitiva estrangeira no Natal Felicidade e estava animada na fila para posar nas fotos com o “Bom Velhinho” na Casa do Papai Noel. Esta é a sua terceira vez em Lages. A primeira foi em fevereiro, quando chegou no Brasil, e a segunda, na Festa Nacional do Pinhão. “Fazia muito frio”, lembra. Sobre o Natal Felicidade, ela sublinha: “É muito lindo. Estas luzes encantam.” A garota é de Lechería, na Venezuela e está no Brasil há dez meses e meio, em intercâmbio na cidade de Joaçaba. Ela levou 2,5 meses apenas para compreender e falar português. “Morar num país novo é difícil no começo, porque você não entende nada do idioma, a adaptação é complicada. Depois fica mais fácil. As pessoas daqui são muito queridas, gostam de abraçar e se preocupam com o próximo.” Ela volta para a Venezuela dia 16 de janeiro de 2017. Acostumar-se com a comida foi elencado por ela como a parte mais complexa do intercâmbio. “É muito diferente.” A saudade da família às vezes aperta. Todavia, hoje em dia, com as tecnologias, as pessoas estão mais próximas. WhatsApp e vídeo chamada são os meios mais usados por María para falar com a mãe. “Quase todas terças à noite ligo para a mãe. Nessas datas (Natal) a saudade é maior.”

O secretário do Turismo, Flávio Agustini, comenta que a parceria com o Rotary já havia sido exercitada em 2015, quando jovens intercambistas animados desfilaram pelo Túnel Encantado com seus blazers forrados com botons, broches e suas bandeiras que chamavam a atenção do público. “Eles levam mensagens de paz, união e família. Sentimo-nos felizes em poder contribuir e com essa oportunidade que enriquece o evento e a própria cultura destes jovens. E nada melhor do que os garotos e garotas conhecerem a Casa do Papai Noel, que carrega consigo a ‘genética’ serrana, com temática do Natal atrelada ao nó de pinho, a ‘barba de velho’, a lã, o pinheiro e outros artigos da região de frio”, finaliza.

 

Assess. de Imprensa da PML - Fotos: Silviane Brum