O prefeito Toni Duarte, acompanhado pela  maior parte dos secretários municipais e por alguns integrantes da  imprensa (todos foram convidados - mas poucos foram à visita), fizeram hoje pela manhã (19/12) uma visita às principais obras e ações que foram realizadas e/ou que estão em andamento, tendo previsão de término já no exercício do prefeito que assume em 01/01/2017, Antônio Ceron.

Para a visita, foi disponibilizado um ônibus, oportunizando inclusive que as pessoas pudessem trocar informações ao longo do percurso. Em função do tempo limitado para um roteiro bastante expressivo de obras, foi feita só uma parada mais demorada, no local onde estão sendo implantadas as Estações de  Tratamento de Esgoto (ETEs) no Complexo de obras de saneamento básico da região do bairro Araucária. Essa obra, aliás, está quase pronta (R$ 24 milhões de investimentos - Governo Federal). E vai beneficiar quase 7 mil famílias (mais de 20 mil pessoas), em seis diferentes bairros, elevando para 60% o índice de tratamento de esgoto em Lages (hoje está na faixa de 30%). Nas demais visitas o grupo permaneceu dentro do ônibus, com paradas rápidas em cada local.

Toni Duarte informou que do montante de recursos destinados para as obras da avenida Ponte Grande, ainda restam R$ 40 milhões para serem investidos. Já nas obras do Complexo Araucária, que irão contemplar 24 mil famílias, residentes em sete bairros, com saneamento básico (coleta e tratamento de resíduos sanitários), ainda tem R$ 12 milhões para serem investidos.

 

Toni também destacou o projeto Lages Business Park, cujo projeto executivo tem um prazo de seis meses para se executado pela empresa Praiatur Participações Ltda. Trata-se de parceria público-privada de implantação de condomínio empresarial em área de terras de 1,5 milhões de metros quadrados, na região do distrito de Índios. Este condomínio tem previsão de investimentos, por parte da empresa Praiatur, pertencente ao Grupo Koch, de R$ 51 milhões. O terreno para este empreendimento foi doado pela prefeitura de Lages, a qual terá o direito de 30% dos lotes, os quais poderão, futuramente, ser destinados para empresas lageanas.

"Fizemos muita coisa", disse Toni Duarte 

O prefeito disse ainda que a atual administração fez inúmeras obras e projetos ao longo dos últimos quatro anos, em todas as áreas. Que há muitas ações ainda em andamento (e que precisam ser concluídas). E que muitas coisas programadas, por uma série de motivos e percalços, não se conseguiu realizar. “Nós perdemos as eleições em 02 de outubro. E ao contrário do que acontece na maioria dos municípios onde a administração atual foi derrotada, continuamos trabalhando forte e firme, terminando obras, começando outras e tocando adiante as ações que visam o bem estar e o  desenvolvimento para nossa cidade. Estamos fazendo uma transição tranquila e serena com a próxima administração. Não vamos omitir  ou esconder nada.  Fizemos muita coisa, num grande esforço. Melhoramos muita coisa para Lages. E aquilo que não conseguimos terminar, temos certeza que o próximo time dará continuidade ou buscará realizar”, argumentou.

Complexo Ponte Grande 

Um dos grandes desafios em termos de obras em andamento está o projeto do Complexo Ponte Grande, que prevê urbanização, esgoto sanitário, saneamento básico, pavimentação, calçadas e sinalização horizontal e vertical num trecho que vai atingir 13 diferentes bairros, com 6,8 Km de extensão, lado a lado do Riacho Ponte Grande (mais de R$ 80 milhões, com recursos do Governo Federal). O projeto iniciou e foi tocado durante algum tempo pela Empreiteira Sulcatarinense. No decorrer da obra, a empresa faliu e abandonou o trecho.  E foi preciso dividir a obra em vários lotes, que foram ou serão licitados novamente.

“A construção das 200 casas das famílias atingidas pela obra está em sua fase final. Também já foram retomados os serviços para as obras do saneamento básico. E há vários lotes prontos para serem licitados nas demais obras, pavimentação, calçadas e urbanização”, explicou o Secretário do Seplan, Jorge Raineski.

 

Educação, Saúde e Assistência Social 

Foram visitadas obras de pelo menos três novos Centros de Educação Infantil em construção (todos com recursos do Governo Federal e da Prefeitura), que somados vão representar mais de 700 novas vagas para a educação infantil. Visitaram-se obras de pavimentação de ruas (centro, bairro Loteamento Bom Jesus, Gralha Azul, Caça e Tiro, entre outros). E também de construção e/ou ampliação de  Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e Centros de Referência em Assistência Social (CRAS). Isso sem falar nos vários projetos executados pela Semasa (não faltou mais água tratada em Lages no verão, como acontecia). 

Infraestrutura 

No loteamento Bom Jesus, por exemplo, visitou-se o projeto Pavilages. Os moradores do bairro pagam pela pavimentação de suas ruas (e das respectivas calçadas), que é feita com paver de concreto. E gerenciam a execução da obra. A prefeitura entra com a logística e com a parte legal. Assim, os moradores não precisam ficar esperando pela disponibilidade de recursos da Prefeitura. E tampouco pela priorização àquela determinada obra. “Os moradores mesmos podem escolher quem executa a obra, que nem precisa de licitação já que são eles mesmos quem pagam e fiscalizam a obra”, explicou o Secretário de Infraestrutura, Álvaro Mondadori. Nesta modalidade, já foram concluídas as duas primeiras ruas (no Loteamento Bom Jesus). E há mais 4 ruas em andamento na modalidade em outros bairros.  

Voo da Azul Linhas Aéreas 

Na parte final do itinerário, visitou-se também um novo loteamento privado que foi implantado na cidade (Verdes Campos), que prevê toda a  implantação da infraestrutura urbana antes da venda dos lotes e início das construções. Isso inclui ruas asfaltadas,  iluminadas, com rede de água e de esgoto, além de uso do terreno e drenagem fluvial, sem falar nos cuidados com meio ambiente. Visitou-se também as melhorias implantadas no aeroporto de Lages (o vôo da Azul direto para São Paulo completa 6 meses no dia 28/12. E até o final do mês passado eram mais de 13 mil embarques e desembarques), Lages Garden Shopping e empresas próximas (novas instalações da Incobel, Sest/SENAT e Sanovo Greenpack, entre outras).

 

Desenvolvimento Econômico 

Por fim, antes do almoço, falou-se do projeto Lages Business Park. O município já fez a doação do antigo terreno que seria destinado à Sinotruk aos empreendedores, que agora terão 6 meses para apresentar o projeto executivo do empreendimento (condomínio empresarial multissetorial). O terreno de 1 milhão e 500 mil metros quadrados de área terá implantada uma completa infraestrutura pelos empreendedores, além de ser dividido em mais de 300 lotes para a implantação de empresas. Deste total de lotes, a Prefeitura ficará com 30% dos terrenos, que poderão ser doados para empresas locais (com completa infraestrutura). Os demais terrenos serão vendidos pelos empreendedores e/ou alugados (com ou sem barracão). “Este  projeto não custará um centavo para a Prefeitura. E trará muitos empreendedores de fora, além de beneficiar os nossos. Será algo que copiamos lá no Parque Perini, de Joinville, que hoje, sozinho, representa mais de 20% do PIB de todo o Estado. Se lá deu tanto certo, porque em Lages não daria”, indagou o prefeito Toni Duarte.

Texto: Loreno Siega – Fotos: Revista Visão/Arquivo -  PML