A cozinha da Secretaria Municipal de Educação foi sede na tarde desta quarta-feira (22) de uma capacitação para as produtoras rurais da Agricultura Familiar que fornecem produtos para a merenda nas unidades da rede municipal de ensino, através do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Esta ação orientou sobre a confecção de bolachas sem glúten e sem lactose.

De acordo com o gerente de projetos da Secretaria Municipal da Agricultura e Pesca, Ocimar Chaves, a iniciativa obedece as normativas de que 30% da merenda escolar deve ser adquirida por intermédio do PNAE. “Os agricultores familiares fazem a entrega no Barracão da Merenda dos seus produtos e, entre eles, está a bolacha. Com isso, garantimos o incremento da economia aos produtores e os alunos, de toda a rede municipal, consomem um produto de qualidade”, disse Ocimar.

A capacitação teve a participação da extesionista social de Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Vanessa Aparecida Melo, das nutricionistas das Secretarias da Educação, Michele Nardes e Claudia Silvestre Torres e do Banco de Alimentos da Assistência Social, Laís Bertoldo.

Durante o curso as produtoras rurais, além de conhecerem novas receitas de bolachas, receberam todas as orientações técnicas necessárias para a manipulação e fabricação do produto. O material didático esclareceu sobre o que é o glúten, a doença celíaca, intolerância à lactose, boas práticas de produção, higiene, contaminação cruzada e rotulagem nutricional. “Aqui escolhemos as melhores receitas para que possamos levar até os nossos alunos que possuem a intolerância ao glúten e a lactose”, comentou a nutricionista Claudia Silvestre Torres.

Sobre o PNAE

O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) contribui para o crescimento, o desenvolvimento, a aprendizagem, o rendimento escolar dos estudantes e a formação de hábitos alimentares saudáveis, por meio da oferta da alimentação escolar e de ações de educação alimentar e nutricional.

São atendidos pelo Programa os alunos de toda a educação básica (educação infantil, ensino fundamental, ensino médio e educação de jovens e adultos) matriculados em escolas públicas, filantrópicas e em entidades comunitárias (conveniadas com o poder público), por meio da transferência de recursos financeiros.

(Fonte: site do Fundo Nacional do Desenvolvimento da Educação)