O que estão fazendo nossas autoridades que ainda não colocaram a Polícia Federal atrás dos responsáveis pelo jogo diabólico da  Baleia Azul?

Não bastassem dois adolescentes de SC terem se ferido e quase cometido suicídio (um deles, de 15 anos, aqui de Lages), vem a  notícia de que em Curitiba já são sete adolescentes que se automutilaram em função dessa aberração de jogo eletrônico. 

O prefeito Rafael Grecca, inclusive, fez uma reunião de emergência com as principais autoridades da cidade e do Estado. E relatou num vídeo o assunto. Gravíssimo. Muito perigoso mesmo. 

Intenção realmente é caçar os responsáveis (com ç mesmo). Proibir esse maldito jogo e prender os responsáveis (inclusive com ajuda de autoridades internacionais, se for preciso). 

Uma jornalista da Gazeta do Povo, de Curitiba, se infiltrou e buscou entrar no jogo para entender melhor como funciona. Seu relato é  chocante. Diz que há "curadores" para buscar jogadores e "orientá-los" para que cumpram os 50 desafios (mutilar-se, cortar as palmas das mãos, braços e pernas, beiços, língua, assistir a filmes de terror - e - por fim, o 50º desafio é cometer o próprio suicídio). E isso acontece normalmente de madrugada. 

A jornalista diz que o adolescente tem de cumprir os desafios sem fazer perguntas ou questionar. E, se o fizer, os "curadores" ameaçam" que poderão acontecer graves consequências às famílias. Diz também que muitas pessoas, como ele, se infiltram para tentar influenciar os jovens a saírem do jogo e a desistir da competição. Enfim, um verdadeiro horror. 

Na Rússia, onde originalmente foi criado o tal jogo da morte, já teriam ido a óbito 140 adolescentes (suicídio). E em Minas Gerais, aqui no Brasil, dois já teriam cometido suicídio. 

Assistam ao vídeo. Chocante o que relata o prefeito de Curitiba, Rafael Grecca.