Essa é a cidade de Pato Branco, no Sudoeste do Paraná. Lá, o povo respeita a natureza. Exemplo é essa araucária centenária (foto), que cresceu num local onde mais tarde abriram uma rua. O que as autoridades de lá fizeram? Desviaram a rua da araucária. E lá deixaram a belíssima e frondosa árvore. Um exemplo de respeito e amor à natureza.

 

Em Lages, o que fazem?

Alegando que as árvores estão “condenadas”, “velhas demais”, que “concluíram seu ciclo de vida” ou que representam riscos para os moradores, as nossas “autoridades” não estão nem aí. Produzem laudos, documentos e autorizações para que essas frondosas, belíssimas e majestosas árvores sejam cortadas, sem cerimônia.

Por que então não autorizam o corte das araucárias que estão lá no Parque Ecológico Municipal? Lá temos dezenas de árvores que também já chegaram “ao final do ciclo”, que estão “condenadas”?.... Por que não fazem esses mesmos laudos para que os  agricultores familiares possam ao menos aproveitar a madeira das araucárias que caem naturalmente em suas propriedades? (Nem isso a Fatma e o Ibama deixam fazer). Aqui no perímetro urbano, a motosserra pega valendo.... com as devidas “licenças” e autorizações de  nossas “legítimas” autoridades.....

Em frente e no terreno ao lado da  Sens Veículos, na Av. Presidente Vargas, por exemplo, mais de uma dezena  de belíssimas araucárias foram colocadas ao chão – e não faz tempo. Há poucas semanas, derrubaram uma araucária que inclusive era tombada pelo patrimônio cultural do município, num terreno particular lá perto da praça Joca Neves (logo acima do Supermercado Kloppel). E hoje, aproveitando o feriado de Tiradentes (21/04), cortaram mais duas frondosas árvores, que ficavam em frente ao Clube Aero, ao lado do  Supermercado Alvorada da Av. Dom  Pedro II com Castelo Branco.

Maioria das araucárias em frente e ao lado da Sens desapareceram.... que lástima, senhores.....

Dei-me ao trabalho de ir fotografar os troncos que restaram das araucárias cortadas. E, mesmo como leigo, asseguro que essas árvores não representariam perigo algum. Para ninguém. Bastava, se fosse o caso, subir lá em cima e fazer um desbaste dos galhos mais velhos (e isso podia ser feito todos os anos).

 

E essa era nossa árvore "tombada", agora literalmente... Quando uma árvore dessas iria cair?

Essas árvores, ao contrário do que os “laudos tendenciosos” dizem, demorariam mais a cair e a morrer do que quem assinou e produziu esses documentos. Vocês não acham? Vejam as fotos, por favor..... Onde tem caule apodrecido nessas fotos? Cadê o perigo?

Cidade da Festa Nacional do Pinhão

E vejam que estamos na cidade onde se realiza a  Festa Nacional do Pinhão. E onde num passado não muito distante as araucárias tornaram Lages a cidade mais rica do Estado. A cidade onde essas mesmas “autoridades” dizem se  orgulhar de nossa gastronomia à base de pinhão – o entrevero, a paçoca, a sapecada, o pinhão cozido e assado.....

Tronco de araucária em frente ao Aero, cortada hoje (21/04). 

Ao invés de cortar, senhores, deveríamos é plantar CENTENAS de araucárias onde isso fosse possível (no Parque do Conta Dinheiro, por exemplo, onde se realiza a Festa do Pinhão). E não só araucárias. Deveríamos plantar mais árvores nas margens do Rio Carahá (tem vários locais sem árvores e cobertura vegetal onde isso é possível). Naquele terrenão ao lado do nosso Centro Serra.... no Morro Grande (antes que destruam também a parte da frente) e onde isso for possível,  repito.

Tronco de araucária cortada hoje, em frente ao Aero.

Perguntem ao  pessoal do CAV se vão autorizar o corte das belíssimas araucárias existentes atrás do prédio central onde funciona a administração? Lá, as pessoas amam as árvores....

Eu não me conformo com isso. Não concordo. Fico profundamente chocado e indignado.

Onde está o MP? O Ibama? A Fatma? A PMA? Qual vai ser a próxima árvore a ser cortada no dia 01 de maio? (sim, pq fazem isso só em feriados ou nos finais de semana).....

Loreno Siega – Revista Visão